Skip to content

Brasileirão’11: Alerta logo na primeira rodada

maio 22, 2011

O Grêmio começou muito mal o Campeonato Brasileiro com derrota para de 2×1 para o Corinthians em pleno Olímpico. Trata-se da terceira derrota consecutiva em casa, fato que não ocorria desde o fatídico ano de 2004, consolidando 45 dias sem vencer em seu campo. O novo revés provavelmente marcará a semana com novos protestos e mais questionamentos por parte dos torcedores ao presidente Paulo Odone e deixa ainda Renato Portaluppi em situação delicada no comando técnico.

Novamente vimos a repetição de erros que vem ocorrendo ao longo da temporada 2011. O Grêmio mais uma vez pressionou o adversário nos primeiros minutos, não matou o jogo e cansou. Assim foi a partida contra o Corinthians, com o time de Renato tendo maior volume de jogo, mas não convertendo isso em gols.

Além disso, Renato sofre com a falta de opções. O técnico gremista não tinha zagueiro no banco de reservas e ainda perdeu Rodolfo, que prendeu a chuteira do pé esquerdo na grama e sofreu fratura na fíbula, ficando fora dos gramados por mínimo 45 dias. Sem opções, Neuton se deslocou para zaga, fazendo com que Lúcio voltasse para a lateral-esquerda e Escudero, que tinha entrado logo a seguir, fosse o meia de ligação.

Foto: Roberto Vinícius/Gazeta Press

No segundo tempo, embora o Grêmio não apresentasse grande futebol, parecia que a vitória surgiria. Aos 12 minutos, Mário Fernandes recuperou a bola no campo de defesa e a passou para Leandro, que arrancou em velocidade até ser deslocado por Castan dentro da área, sofrendo assim a penalidade. Douglas cobrou com categoria e deixou o placar em 1×0 para o Tricolor. Porém, a alegria dos torcedores durou pouco, quando aos 19 minutos, Lúcio pisou no pé de Liedson, resultando em outra penalidade. Chicão bateu rasteiro e empatou em 1×1.

Sete minutos depois, o Grêmio levou a virada. Alessandro cobrou lateral, Danilo tocou de leve de cabeça e Liédson, entre os zagueiros, colocou o Corinthians na frente. O time de Renato buscou o empate, principalmente com Escudero se esforçando para isso. No entanto, o time abusava nos erros de passes, Leandro não estava em bom dia e ter Lins como opção no banco é sofrível, principalmente quando Viçosa não corresponde. Ou seja, faltou fôlego, organização e qualidade técnica para empatar e, quem sabe, retomar a vantagem. Por isso, o time de Renato perdeu por 2×1 em pleno Olímpico.

Foto: Edu Andrade/Gazeta Press

A derrota faz com que o Grêmio mergulhe em crise, fato que não adianta negar ou esconder. Cada vez mais os torcedores perdem a paciência com Odone. Nem Renato é poupado de críticas. Talvez nem devesse mesmo. Afinal, sofrer gol de lateral, ter um time que abuse no erro de passes e preferir apostar em William Magrão ao invés de Vinicius Pacheco ou Jonas Pessali (que sequer foi relacionado) também o torna culpado. No entanto, é fato também que o técnico gremista tem seu trabalho prejudicado com a falta de opções no banco.

A semana deve ser de cobranças e correria no Grêmio. Ezequiel Miralles já foi o primeiro contratado, mas devemos ter mais algumas novidades nos próximos dias. Isso pode ajudará a amenizar a pressão. Todavia, cobrança é inevitável. Agora o time de Renato obrigatoriamente terá de recuperar esses três pontos na Arena da Baixada, contra o Atlético Paranaense. Se perder, terei minhas dúvidas quanto à permanência do nosso técnico, por mais que seja estúpida a sua saída.

7 Comentários leave one →
  1. juca permalink
    maio 23, 2011 3:13 am

    Quem sabe agora o Renato treine o time? Ou ele vai continuar só fazendo rachão?

    A diretoria é incompetente, contudo o presidente só deve sair no final do ano que vem.

    Em cinco meses, o time não apresentou evolução alguma. Continua tomando muitos gols, errando muitos passes, errando quase todas as “bolas paradas”, sem qualquer organização tática.

    Boa parte da torcida ainda não consegue diferenciar o Renato jogador (um grande ídolo gremista) do Renato treinador (um motivador, sem noção tática e estratégica, cujo prazo de validade venceu).

    Ou arranja-se um treinador de verdade pra “auxiliá-lo”, assim como fazem no aterro, ou ele vá pro Rio curtir uma praia porque o inverno tá chegando…

    • Daniel permalink
      maio 23, 2011 8:54 am

      Tem muito torcedor com o prazo vencido também.

      O problema ontem não foi tático. No primeiro tempo, o Grêmio acuou o Corinthians no campo de defesa. Jogou como devia jogar: marcação adiantada (isolou o Liédson lá na frente), pressão na saída de bola… O que matou o time foram os erros de passe, principalmente nas conclusões de jogadas, e o mal aproveitamento nas bolas paradas. E nem se pode dizer que foi por falta de jogadas ensaiadas, já que o Douglas e o Rochemback nem conseguiam fazer a bola cair na área pra que se tentasse qualquer jogada.

      Se os erros de passe acontecessem porque os jogadores estavam mal posicionados, sua crítica faria sentido, mas não foi o que se viu. Pelo menos por quem não estava com a corneta preparada antes mesmo do jogo começar.

  2. Lopes permalink
    maio 23, 2011 11:55 am

    Faço minhas as suas palavras do Juca. Aliás, faz tempo que digo isso, exatamente isso, o inverno vem chegando é melhor ele (Renato) dar adeus agora, enquanto o Brasileirão está começando. Para mim, com título ou sem título do Gauchão éramos pra começar o Brasileiro de técnico novo, de preferência gaúcho e desconhecido nacionalmente. Não canso de repetir que foi assim com Scolari, Tite e o Mano Menezes. O Renato é o maior ídolo da história recente do Grêmio, pois foi o grande nome do título mundial, mas acho um absurdo o que fazem com Tarciso, Mazaroppi, Danrlei e outros, relegando-os a meros coadjuvantes nessa história. Os últimos dois então é um pecado, pois são verdadeiras múmias (nenhuma conotação com idade) de tantas faixas que cruzaram no peito. O Renato ídolo, deve ser poupado do Renato técnico, o qual nunca foi unanimidade, mas cumpriu seu papel. Sabemos do seu gremismo, que ajudou no marketing e tudo mais, mas o maior atrativo que o Grêmio pode ter, quer seja de sócios, quer seja de jovens torcedores é conquistando títulos. A década de 90 é o maior exemplo disso, com aquele time do Felipão levantando canecos. Foi nessa década que passamos com larga vantagem o time do aterro em número de torcedores. Contar, exclusivamente, com o convencimento, com o desejo dos país que seus filhos sejam gremistas é muito arriscado e parece ser algo do passado. E de um passado distante, quando 99% dos filhos certamente seriam o que os país eram! Quero seguir essa tradição em minha casa, passando o gremismo de geração em geração, mas espero que o Grêmio (direção/time) faça a sua parte!!!

  3. Maria permalink
    maio 23, 2011 7:30 pm

    Prezados, os problemas do Grêmio perpassam o treinador do momento. Dá para verificar, que há anos, não existe um projeto para o futebol . A opção foi buscar uma saida mágica e comprar a prestação um estádio. Está bem claro que os atuais dirigentes não pretendem investir no futebol, e sim, utilizar todo o dinheiro que entrasse para pagar dívidas e entregar a área do estádio Olimpico para a OAS. Desta forma a instituição segue rumo a incerteza, neste e nos próximos anos.

  4. maio 23, 2011 10:12 pm

    E o boca de burro do Renato continua com a merda da formaçao 4-4-2 com losango e deixa o Escudero e Pacheco na reserva… o que mais vai acontecer? Gilberto e Miralles no banco de reserva? não precisa ser um perito pra saber o que tem de errado no Grêmio, mas Renato parece um técnico de começo de carreira. Errando em momento crusciais, colocando peças erradas… tá mais que na hora de ele tomar vergonha na cara…

  5. giovani montagner permalink
    maio 24, 2011 4:15 pm

    concordo rennan, o problema é o esquema.
    nós gremistas após tanto tempo sem ganha nada, vivendo apelos metafísicos (imortalidade), imploramos a todo custo por ídolos capazes de levar nosso time a condição que estamos acostumados (lembro muito bem da década de 90) e nos deixamos iludir facilmente.
    nos iludimos com jogadores jovens, medianos, ruins, medrosos e dorminhocos.
    nos iludimos com discursos inflamados, carregados de imortalidade, seja no twitter, na época de eleição ou nos momentos de derrota.
    foi apenas o primeiro jogo e eu joguei a toalha. acompanharei até o fim na esperança de ano que vem ainda estarmos na primeira divisão. para então sonhar com o título? não, longe disso, torcerei para novamente não cair. assim será até o momento que extirparmos o câncer do Grêmio, quando retornará a esperança.

Trackbacks

  1. Brasileirão’11: Na conta de Victor « Grêmio 1903

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: