Skip to content

O pensamento vencedor está de volta

fevereiro 20, 2011

 

Renato e Roger, ícones das décadas de 80 e 90, juntos pelo Tri - Foto: Gremio.net

Muitos podem não concordar e assim seguir a linha pessimista do Paulo Sant’anna (aliás, faria um favor se deixasse de comentar sobre o Grêmio), mas sigo confiante no time sobre a conquista da América e também do Gauchão. Primeiro porque estamos montando um elenco bastante interessante e, segundo, temos a volta do pensamento vencedor no Estádio Olímpico.

O Grêmio ainda pode ter alguns setores que ainda precisam de afirmação, como a lateral-esquerda. No entanto, defendo a sequência ao Bruno Collaço, que amadureceu na Ponte Preta e, cabe a nós, torcermos também para Gilson realmente engate uma boa sequência. O que me deixa esperançoso é que ele mesmo sabe que precisa melhorar.

Na zaga, Rodolfo deu mais qualidade técnica ao setor, que conta com Paulão como o zagueiro mais prático. Ainda temos Neuton, Rafael Marques e Vilson. Não considero então, comparando com que se vê por aí, a zaga gremista abaixo das demais. O que falta, em parte, é entrosamento, que será obtido por meio de jogos, nada mais.

Na lateral-direita, há Gabriel e Mário Fernandes; Rochemback é um dos melhores volantes deste país; se Renato conseguir centrar Carlos Alberto e Damián Escudero ao objetivo de trazer novas glórias ao Olímpico, então o Grêmio passará a ter um meio-campo invejável com Douglas. Além de um bom segundo atacante estar a caminho do clube, para fazer companhia a Borges ou André Lima, que são goleadores. Portanto, temos elenco.

Além disso, ao contrário do que se vê pelas bandas do Beira-Rio, com Celso Roth novamente fugindo da responsabilidade de fazer uma boa campanha no estadual (aliás, quem lembra mais detalhadamente de 2009, sabe que o Inter de 2011 é um caso muito semelhante), no Grêmio, nunca se preteriu o Gauchão. No máximo, uma polêmica do Renato não treinar jogos no interior, devido ao excesso de jogos no começo da temporada.

Todavia, o Grêmio dá sinais de que quer também levar a taça do Gauchão, mesmo que a prioridade seja a Libertadores. É assim que se comporta um time grande, aquele que joga para ganhar todas as competições que disputa. Em 1995, ganhamos a Libertadores e o Gauchão. Então pra que não fazer isso de novo?

No Grêmio, não tem essa onda de time B, existe sim um elenco capaz de fazer frente às duas competições. Isso é valorizar o campeonato, embora a própria Federação Gaúcha de Futebol não ajude para isso. Os jogadores titulares, mesmo cansados, querem jogar o estadual. Na casamata, Renato Portaluppi e Roger, dois ícones vitoriosos, servem de alicerces aos atuais jogadores. Também aprovo o discurso da atual direção, desde que assumiu o clube: o Grêmio vem forte tanto no Gauchão como na Libertadores. É esse pensamento vencedor que sentia falta.

 

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. Régis permalink
    fevereiro 20, 2011 1:37 pm

    Isso mesmo, Bruno, o Tricolor tem mesmo que disputar com seriedade as competições que aparecerem, até porque, como falei no post anterior, o clube necessita pagar seus funcionários e não dá para fazê-lo com apenas a Libertadores, afinal não há jogos deste torneio, toda semana no Olímpico. Não concordo em dar folga a jogador, pois ele é pago apenas para jogar futebol que, convenhamos, não há profissão melhor. O cara tem tudo do bom e do melhor no clube, não precisa pagar academia de ginástica, tem a disposição nutricionistas, uma regalia. Dureza e desgaste físico há em um jogo de tênis, onde o atleta passa mais de duas horas em uma quadra, sozinho, e já imagina que, ao vencer, deverá enfrentar um novo adversário no dia seguinte, diferentemente de um jogo de futebol, o qual ocorrerá, pelo menos, quatro dias após.

  2. jean permalink
    fevereiro 20, 2011 2:56 pm

    tambem estou confiante quero muito ser tri da américa o time tem potencial e c tudo der certo que os deuses do futebol nos ajudar seremos sim tri da américa .

  3. Rodrigo permalink
    fevereiro 22, 2011 5:26 pm

    Detalhe: em 1995 além de termos conquistado a libertadores e o gauchão, fomos vice da copa do Brasil (final que perdemos para o Corinthians por 1 x0 no olimpico)…time vencedor não é forjado “descansando”….enquanto “eles” colocam time B e levando na maneira Roth de treinar, devemos continuar esta trajetoria humilde e de muito trabalho! …..acho que estamos no caminho certo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: