Skip to content

Gauchão’11: Sem dramas

janeiro 15, 2011

A estréia não foi bem a desejada, apesar de matar a saudades do torcedor para ver novamente o Grêmio em campo. O empate de 2×2 foi um anticlímax, mas nem por isso um sinal do apocalipse. Como era de esperar, o time de Renato ainda procura o ritmo, como é comum em qualquer equipe que inicie uma temporada. Além disso, o Lajeadense treina desde novembro e procurou compensar a disparidade técnica com seu melhor preparo físico.

Renato partiu para o tradicional 4-4-2, com Junior Viçosa no ataque (substituindo Borges com problemas musculares e André Lima com burocracias para jogar), Vilson no meio-campo e Gilson na lateral-esquerda. Com essa formação, principalmente pelo zagueiro exercer a função de volante, os laterais passaram a atuar com maior liberdade.

Assim Gabriel foi se tornando o melhor jogador gremista na partida. Bem na defesa e jogando fino no ataque, o lateral mostrou que é o melhor na posição há anos. Mesmo assim, o desentrosamento do time era bastante visível. Havia dificuldade de fazer tabelas (um dos pontos fortes do time que encerrou o Brasileirão), a defesa estava lenta e sem ritmo e o meio-campo tentava se ajustar.

Foto: Diego Vara / ClicEsportes

 

Mais preparado fisicamente, Lajeadense tratou de impor essa vantagem para preencher a lacuna técnica que distanciava, e muito, os dois times. O time de Ben-Hur Pereira teve chances de fazer o primeiro gol, mas o ataque falhava na hora de decidir. Logo então, o Grêmio, ainda melhor na partida, mostrou que quem não faz, leva. Assim foi aos 38 minutos, com Rochemback cobrando falta e Rafael Marques pulando mais alto para desvia de cabeça e fazer o primeiro gol gremista em 2011.

Antes de o primeiro tempo acabar, perspectivas de goleada na etapa final. Isso porque aos 44 minutos, Gabriel faz grande jogada com Jonas e cruzou para área. Viçosa, de cabeça, faz a assistência e camisa 7 marca o primeiro (talvez de muitos) gol nesta temporada. Se o árbitro Roger Goulart tivesse mais paciência para o Grêmio encerrar o ataque seguinte, quem sabe não sairia o terceiro gol? No entanto, não houve papo, a primeira etapa se encerrou com vantagem tricolor por 2×0.

No segundo tempo, que seria a etapa para sacramentar a goleada, começou morno. O Grêmio até criou oportunidades, mas lhe faltava capricho nas finalizações e assim chances foram perdidas. Todavia, a falta de ritmo do time de Renato foi agravada pela falta de preparo físico ideal para aguentar os 90 minutos. Isso se refletiu na marcação, imposição dentro de campo e até mesmo no chute, como o de Jonas, que finalizou fraco após fazer a defesa do Lajeadense comer poeira.

Foto: Diego Vara / ClicEsportes

 

Sendo assim, lembram daquele ditado, que valeu no primeiro tempo? Quem não faz, leva, e o Grêmio levou.  Quando o relógio marcava 22 minutos, Rangel recebeu longo passe na entrada da área, Marcelo Grohe saiu mal. O jogador adversário mandou a bola rumo às redes, embora Rafael Marques tivesse se esforçado para impedir, em vão, o gol do time do interior.

Com Grêmio cansado, Renato decidiu mudar, ao trocar Vilson por Bruno Collaço. O guri foi para a esquerda e Gilson recuou no meio, repetindo o mesmo esquema que deu certo com Fábio Santos e Lúcio. Collaço mostrou vontade logo nos primeiros minutos em campo. O ideal é sua permanência no grupo nesta temporada.

Contudo, não adiantou.  O Grêmio estava cansado, Renato demorou para colocar Diego Clementino em campo e, quando o fez, o Lajeadense empatou logo em seguida, aos 40 minutos, com Ramos cabeceando a bola para as redes. O técnico gremista tentou ir para o tudo ou nada com Bergson,porém, nada mudou. O que era para ser uma goleada virou um empate. Ainda assim, dada as circunstâncias, um placar que pode ser considerado normal.

Foto: Diego Vara / ClicEsportes

 

Na coletiva, Renato reclamou do calendário brasileiro. Bem, essa é uma tecla que este blogueiro bate sempre que possível. Não existe pré-temporada no Brasil, pois um grande clube dá um mês de férias aos seus jogadores e logo em seguida precisa treinar por um pouco mais de 10 dias para disputar uma partida oficial. Nesse quadro, quando um time grande enfrenta um pequeno, que treina há mais de dois meses, o jogo se equilibra, mesmo que a diferença técnica seja absurda.

Por essa razão, não considero esse resultado um absurdo. O Lajeadense treina desde novembro, mostrou-se um time bom, surpreendendo o torcedor gremista e o Grêmio, ao natural, ainda procura seu ritmo de jogo e preparo físico ideal. Logo, não há razão para dramas. Uma vitória era o ideal, mas o empate não muda nossa perspectiva de uma grande temporada. Ao menos, não deveria.

Off-Topic: O Grêmio anunciou o meia Vinicius Pacheco, que estava Figueirense por meio do empréstimo do Flamengo. Ele se apresentará nesta segunda-feira (17) no Olímpico.

7 Comentários leave one →
  1. Daniel permalink
    janeiro 15, 2011 11:49 pm

    Foi exatamente o que pensei quando vi a escalação do Vilson no meio de campo: Mais marcação no meio, mais liberdade pros laterais. O problema acabou sendo justamente a falta de tabelas e trocas de passe, já que o Adilson também não é um jogador de criação e o Douglas estava sobrecarregado (não tinha como encostar nos dois lados ao mesmo tempo). Mas o time é bom, só precisa recuperar o condicionamento físico e ter de volta os titulares que faltaram (especialmente o Victor). Daqui a algumas semanas, tenho esperanças de que vamos ser o melhor time do Brasil outra vez.

    • Lucas permalink
      janeiro 16, 2011 1:39 am

      Daniel, concordo em gênero, número e grau contigo!!! E quanto a volta do Victor, acho que deve ser tratada com urgência, pois apesar de o Marcelo Grohe ter feito boas defesas na temporada passada (contra o SP no Olímpico, por exemplo) e ontem , ainda não me convenci quanto as suas qualidades (falhou feio no 2ª gol do Lajeadense, aquele de cabeça)…

      E o Douglas estava praticamente sozinho, pois quem mais avançava e tinha uma liberdade maior para subir era o Rochemback, e nem era tanto, só alguns passes!!

      Gabriel jogou muito hoje!! A direção tem que dar um jeito de prorrogar o seu empréstimo, ou adquirir seus direitos… É concerteza o lateral direito que nos faltava à muitooo tempo!!

      Enfim, quando os titulares voltarem (Victor, Lúcio e Borges), a direção contratar algum meia p/ jogar ao lado do Douglas (apesar de já ter trazido o Vinícius Pacheco, que deve estreiar logo entrando no lugar do Vilson), as coisas se arrumam e o time fica com: Victor; Gabriel, Paulão, Rafa Marques (ou algum xerifão castelhano) e Lúcio; Adílson, Rochemback, Douglas e Vinícios Pacheco (enquanto não chega outro, e SE chegar); Jonas e Borges… Na casa-mata o Saint Portaluppi.

      E o p/ Mestre Jonas completar a sua meta, faltam 29 gols!! ahueaeauheahuee

      Abraço!! Dá-lhe Grêmio.

  2. janeiro 16, 2011 3:10 am

    Olá aos gremistas de plantão!

    gostaria de divulgar esse blog para aqueles que apreciam história, futebol e, é claro, o tricolor gaúcho.

    http://gremiohistoria.blogspot.com/

  3. Mello permalink
    janeiro 16, 2011 7:00 am

    Esatria mais preocupado se o time tivesse voando,

  4. Juliano permalink
    janeiro 16, 2011 11:07 am

    O Adilson tem que treinar fundamentos erra 50 passes por jogo, e achei que Marcelo saiu errado no primeiro gol e o segundo gol a zaga toda ficou olhando. Vamos dar um desconto por ser inicio de temporada, mas não da para estar ganhando de 2 e deixar um time fraco como o Lajeadense empatar, e entrosamento não pode ser desculpa, já que a base é a mesma do ano passado. Faltou um pouco de vontade, inteligência de ficar com a posse de bola (o que é difícil com o Adilson errando 11 passes a cada 10) e claro muito preparo físico. Errar agora é até bom, já que o Gauchão é um lixo de campeonato, assim na Libertadores não vamos cometer os mesmos erros.

  5. Fernando Larrondo permalink
    janeiro 16, 2011 12:21 pm

    Para mim, o esquema foi 4-3-1-2 … a linha composta por Adilson, Rockemback e Vitor não funcionou … foi alterado o 4-4-2 do ano passado!!!!! O Adilson é cabeça-de-área (muito bom, por sinal), daí para frente, precisamos de volantes e meias (Rocka, Lúcio e Douglas), ou seja, a alteração foi péssima!!!! Que volte o esquema do ano passado … e enquanto o Lúcio não puder jogar, que se escale um dos meias do junior!!!!!

  6. heraldo permalink
    janeiro 16, 2011 12:36 pm

    colocar junior visoça, de armador, sair jogando, num 4 x 3 x2 x1, fica difícil furar qualquer retranca, Renato inventou um vilson, que não jogou lhufas nenhuma, de todos os “reservas” visoça foi o melhor, fora de posição, e tendo que vir buscar jogadas no meio,faltou toque de bola, se a experiencia conta,porque cargas de agua correram como pias pançudos no 1ºtempo?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: