Skip to content

Bom senso vale para os dois lados

novembro 9, 2010

O Grêmio passa por um momento especial no Campeonato Brasileiro, como o melhor time do segundo turno, que saiu da parte debaixo na classificação para brigar por uma vaga na Copa Libertadores. Inegavelmente, o grande mentor dessa virada é Renato Portaluppi, cuja idolatria da torcida gremista uniu, como pouco se viu na gestão de Duda Kroeff, torcedor e time.

Por essa razão, que o grande foco de discussão seja a renovação de Renato para os próximos dois anos, já com Paulo Odone na presidência do Grêmio. Mas é aí que começam os problemas, debates e discordâncias. De acordo com que se noticia na imprensa, o desejo do técnico gremista é ter  um salário de R$ 450 mil. Contudo, o próximo Conselho Administrativo tentará cortar gastos a partir de 2011.

Odone, o presidente que mais caiu ao gosto da torcida nesta década, já se vê pressionado. Sabe que Renato é ídolo, a campanha do Grêmio em suas mãos é irretocável e existe grande apelo para que haja a renovação. Começar seu mandato com um gesto impopular de não ter o herói do Mundial de 1983 seria péssimo. Principalmente num mercado com escassas opções, de qualidade, para substituí-lo.

Talvez Odone nem preferisse Renato, uma vez que possui uma visão diferente de futebol. A primeira contratação do futuro presidente deve ser um volante, para reforçar o sistema defensivo. Em 2008, Vagner Mancini foi demitido por ter um time “faceiro” demais na marcação, embora estivesse invicto  no clube naquele instante. Renato, por sua vez, prioriza o ataque e nunca escondeu isso. Afinal, ele foi um dos maiores atacantes produzidos no futebol brasileiro. Portanto, são duas formas de enxergar.

Todavia, isso é superável. Odone não tem como argumentar diante dos fatos. O Grêmio de Renato é, neste momento, o melhor time do Campeonato Brasileiro. Exagero? Não, a classificação do segundo turno prova isso. A equipe apenas não briga por título, uma vez que a herança maldita dos desmandos de Meira e Silas não cicatrizará tão cedo. Mas daí surge outro empecilho para renovação.

*

Até quanto vale a pena pagar por Renato?

No Bahia, Renato recebia R$ 80 mil por mês. Diga-se, um bom salário para um time da Série B. Quando foi contratado pelo Grêmio, o técnico passou a receber R$ 275 mil mensais, ou seja, seu salário foi mais do que triplicado, tornando-se a sétima maior remuneração dada a um treinador no Brasil.

Com a ascensão meteórica do Grêmio no Campeonato Brasileiro, Renato pensa na sua valorização. Não se pode culpá-lo por isso, afinal, é seu direito. Todo funcionário, seja em qualquer instituição, tem como objetivo de obter maiores ganhos. O técnico gremista não é exceção.

Contudo, é a partir desse ponto que ocorrem as divergências. Talvez a maioria da Nação Gremista queira a renovação de Renato a qualquer custo. Na minha avaliação, é preciso estabelecer os limites de gastos, já extrapolados pela atual direção. Então, considero R$ 450 mil uma pedida muito alta para um técnico.

Muitos argumentam que basta mandar Leandro e Souza embora que tudo se resolve. Não penso assim, embora concorde que os dois e mais alguns jogadores ganhem salários absurdos no clube. Mesmo assim, a nova diretoria precisa ter um padrão salarial. De nada adianta nada adianta dispensar um grupo de atletas para poupar gastos e voltar a gastar excessivamente para uma pessoa.

Além disso, este é um caso que exige do gremista uma posição mais realista do que torcedora. Renato não é técnico para R$ 450 mil. Muricy, Luxemburgo e Felipão possuem salários acima desse patamar e têm um currículo muito mais rico como treinadores.

Além disso, Renato ainda precisa provar a estabilidade na sua carreira de técnico, por mais que ele tenha dado sinais de amadurecimento. Não podemos no esquecer que da mesma maneira que ele foi campeão da Copa do Brasil e obteve um vice-campeonato da Libertadores, o técnico também teve dois rebaixamentos para Série B.

*

Salários inflacionados e inversão de valores

Outro ponto a ser criticado não se aplica apenas ao Grêmio. Os clubes brasileiros estão cada vez mais inflacionando os salários técnicos. É um absurdo Felipão ganhar R$ 700 mil no Palmeiras, embora tenha um currículo excepcional. Assim como Luxemburgo e Muricy, os quais receberem salários no patamar acima dos R$ 500 mil. Os técnicos brasileiros estão cada vez mais caros. Até Celso Roth ganha R$ 300 mil no Inter.

Por mais que um técnico seja vitorioso e reconhecido internacionalmente, como é o caso do Felipão, os clubes brasileiros não podem fugir da realidade financeira local. Além disso, tal gasto corrobora uma inversão de valores, em que o técnico passa a ser mais importante do que o próprio jogador. Mas quem são os protagonistas do espetáculo? Os jogadores. Se não existisse jogador, não haveria futebol, enquanto se não houvesse técnico, o esporte perderia taticamente, porém, o futebol sobreviveria.

*

Ação de marketing

Um possível final feliz para essa novela seria usar o Departamento de Marketing. O nome de Renato gera recursos ao Grêmio. O retorno do maior ídolo gremista, autor de dois gols que nos deram o Mundial Interclubes, aumentou as receitas do clube. Conforme informação da Zero Hora, o clube registra 1,5 mil novos sócios por mês, faturamento dobrado na Grêmio Mania e lucro quase cinco vezes maior na arrecadação do Olímpico.

Logo, as arrecadações obtidas pelo “efeito Renato” teoricamente poderiam compensar o pagamento de um alto salário de R$ 450,00. Diga-se, uma campanha de maior peso já deveria ser iniciada por Cesar Pacheco, diretor de marketing, o que não ocorre. Por enquanto, somente o nome Renato consegue, por si só, mais receitas ao clube.

Porém, há dúvidas pertinentes. Por quanto tempo durará o “efeito Renato”? Por mais que seja ídolo, não me parece claro que as vendas seguirão a todo vapor, sem esfriarem, por dois anos de novo contrato. Afinal, Renato ainda é uma novidade, mas com passar do tempo, a sensação em torno de sua pessoa diminuirá, simplesmente porque a sua presença será cotidiana, algo trivial no dia a dia do gremista.

*

Por que não questionar o ídolo?

Nesse processo de renovação de contrato, será preciso bom senso das duas partes. A futura direção tem como obrigação de tentar tudo que é possível pela permanência do herói do Mundial de 1983, desde que não seja necessário cometer loucuras. Mas, por sua vez, o técnico gremista também deve ser um facilitador nesse processo.

Renato precisa entender que o Grêmio não nada em dinheiro e um salário de R$ 450 mil não faz parte, pelo menos não deveria, de sua saúde financeira. Ao insistir nesse desejo, ele mesmo sabe que as suas chances de permanecer no Olímpico ficarão mais reduzidas. Por essa razão, por que somente Odone deve ser questionado?

Se Renato quiser mesmo permanecer no Grêmio, com toda certeza chegará num consenso com a nova diretoria, visto que esta, empurrada pela torcida, também deseja a renovação de contrato. Mas o futuro Conselho Administrativo acerta em não cometer loucuras com os cofres, como ocorreram na gestão de Duda ao pagar salários absurdos a jogadores questionáveis.

Enfim, não há gremista que não queira ver Renato na casamata tricolor em 2011. Também quero vê-lo como treinador do nosso Tricolor. Apesar disso, o meu papel também é ser crítico. O Grêmio não pode pagar um salário de R$ 450 mil por diversas razões descritas neste artigo. Caso o ídolo tricolor insista com isso, ele estará dando sinais de que deseja sair do Grêmio. Se essa for a vontade dele, então que seja feito.

16 Comentários leave one →
  1. Erik Persson permalink
    novembro 9, 2010 6:30 pm

    Mais uma vez tenho que cumprimenta-lo pelo belíssimo post.
    Não troco nenhuma vírgula ou ponto de seu post.
    Concordo PLENAMENTE contigo.
    Parabéns, e que as partes cheguem a um acordo pelo bem do nosso Grêmio.

  2. enio jr permalink
    novembro 9, 2010 6:35 pm

    O Problema não é cortar custos, o problema é saber diferenciar custo de investimento.Em tempo, tbem acho 450 paus muita grana. Mas acho que eles acertam em 400 (que tbém já é uma bela grana)

  3. observador permalink
    novembro 9, 2010 7:34 pm

    Coerente seu post,com certeza é muita grana q ele tá pedindo!!Mas lembro de outra máxima da economia,a lei da oferta e da procura,infelizmente os ídolos tem pés de barro!!Ainda acho mais confiável pagar ao Renato,do q fazer economia e contratar os Silas da vida,e esse filme já vimos!!

  4. Daniel permalink
    novembro 9, 2010 7:54 pm

    Também pode ser tática de pechincha do Renato, pede o braço inteiro pra ver se oferecem a mão. Se ele ganha mesmo 275 mil, não pediria um aumento de 125 depois de três meses de trabalho, a não ser que tivesse recebido uma proposta próxima disso de outro clube. Mas quem, no momento, está sem técnico e com tanto dinheiro de sobra?

  5. Claudio COLORADACO permalink
    novembro 9, 2010 8:15 pm

    Bruno , por causa da correria , eu só vi o assunto do post , não li nenhuma linha , mas um treinador “que joga fora” uma “podre” sul americana vendendo uma desculpa pra não ser rebaixado no brasileirão é ridículo …olha o tamanho do gremio pra um cara ou direção pensar uma coisa dessa ( isso eu incluo tambem o Inter) … esse ai ta igualsinho (não sei quem é pior) o Roth , oras , ganhando 300 pau por mes se arranja desculpa pros fracassos fácil fácil , abraços ai 🙂

    • Daniel permalink
      novembro 10, 2010 2:00 pm

      O Renato chegou ao Grêmio no dia do jogo de volta contra com o Goiás. Como é que ele jogou a Sulamericana fora se nem teve tempo pra treinar o time? Quem jogou fora foi o Silas. Para de viajar.

  6. Gremista de Gramado permalink
    novembro 9, 2010 10:13 pm

    Neste momento temos que ter criatividade. Se o Renato realmente é o propulsor do aumento de faturamento na loja, na bilheteria e aumento de sócios, então propõe um salário fixo, por exemplo R$ 275 mil, que ele já está ganhando, e um percentyual sobre o aumento de faturamento mensal. Isto obrigaria o MKT a realizar promoções constantemente com a participação do Renato. Facilmente chegaria aos R$ 450 mil pretendidos.

  7. Roger permalink
    novembro 9, 2010 11:57 pm

    Nova direção ainda nem assumiu e já esta fazendo tudo errado. Se não renovarem será estelionato eleitoral

  8. Roger permalink
    novembro 9, 2010 11:58 pm

    Impressionante, nova direção ainda nem assumiu e já esta fazendo tudo errado. Se não renovarem será estelionato eleitoral, verdadeiro tiro no pé

  9. Fernando permalink
    novembro 9, 2010 11:59 pm

    Me desculpe mas que pobreza de argumentos para defender o odone e Vicente Martins que vem morrendo pela boca e criticando renato desde antes da eleicao. Vicente ate twittou que renato nao estaria pronto “ainda”. Para mim essa cena é mais ciumera politica por nao ter vindo do “salvador” da patria odone….

    • novembro 10, 2010 12:04 am

      Fernando, para, pelo amor de Deus…

      Não estou defendendo ninguém, apenas estou cobrando coerência para ambas as partes. Deve-se sim cobrar Odone e Vicente, mas também do Renato. Você também disse que meus argumentos são pobres, mas mostre-me o seu, para que possamos debater.

  10. giovani montagner permalink
    novembro 10, 2010 12:14 am

    não tem o que acrescentar, penso nesse caminho.
    acho absurdo ele ganhar 275 mil, com 1 copa do brasil conquistada! assim o felipão está ganhando pouco.

  11. Targa permalink
    novembro 10, 2010 9:12 am

    Em termos de curriculo, o Renato tem o mesmo do Mano Menezes: estaduais, 1 copa do Brasil e vice da libertadores.
    No mais, Renato ta mostrando que é um bom técnico, já se pagou em 2010 e garantiu um 2011 no mínimo com os mesmos valores das cotas de TV, pela fuga do rebaixamento (não vamos nos esquecer que o futuro era de série B até ele chegar).
    Então, Renato já se pagou para 2011 também!
    Fora todos os jogadores que ele valorizou com sua chegada, como Douglas, Rochemback, Jonas, Gabriel, Rafael Marques, Lúcio, Vilson, Paulão. Com certeza hoje eles valem o dobro do que valiam com o Silas.

    Pode até ser um alto salário esses 450 mil (ainda negociáveis), mas é a tônica do mercado, infelizmente.
    Me pergunto então quem do mesmo porte viria para o lugar dele e se viria por menos?
    Não há opções! O último era o Adilson…

  12. Luigi permalink
    novembro 10, 2010 12:05 pm

    Bruno,

    Ótimo Post…. concorco plenamente com o que voce escreve…..acho que precisamos neste momento de coerencia na nossa instituição….de ambas as partes….

    Parabens…. esta noticia tinha que chegar nos dois….rs rs rs

    Abraço

  13. Daniel Alves permalink
    novembro 10, 2010 1:04 pm

    Parabéns pelas palavras Bruno, concordo com vc em tudo isso aí. Acho q 350 mangos estaria de bom tamanho pro Renato (q já é um ótimo salário) e essa idéia do Gremista de Gramado, do salário do Renato ser formado em partes pela participação em trabalhos de mkt envolvendo o nome do Renato é uma excelente idéia, q deveria ser considerada pelos responsáveis pelo mkt do Grêmio.
    Abraço

  14. Alexandre Dantas permalink
    novembro 11, 2010 4:56 pm

    Eu acho um absurdo o Portaluppi ganhar 450 mil por mês. Sou gremista fanático e se caso fosse técnico do meu clube jamais cobraria mais do que 100 mil. Isso pra mim é um crime!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: