Skip to content

O que há com nossos jovens da base

outubro 31, 2010
O “melhor campeonato do mundo” se encerra em 5 de dezembro. Até lá, seis rodadas decisivas que definirão o campeão, os classificados à La Copa, ou ao torneio da irmã da Gretchen, e, claro, os rebaixados. Uma possível vaga – G-3 ou G-4 – à maior competição das Américas ainda nos manterá ligados neste Campeonato Brasileiro dos profissionais até ao seu final. Mas no dia seguinte ao término, um torneio de 6 a 21 de dezembro, organizado pela Federação Gaúcha de Futebol, começa a rolar em campos de seis cidades do nosso Rio Grande do Sul.

Chancelado pela CBF, a quinta edição do Campeonato Brasileiro Sub-20 reunirá 19 clubes da atual Série A, à exceção do São Paulo, que será substituído por quem está bem próximo de voltar ao convívio dos grandes, o Coritiba, da Série B. O Grêmio é o atual bicampeão da competição (aqui e aqui), e, portanto, terá a tarefa de defender o título da categoria na busca pelo tricampeonato. Árdua tarefa, a julgar pelos maus resultados obtidos no ano pelos juniores.

Copa São Paulo Sub-18: eliminado na 1ª fase. Ficou em 2° no Grupo N, que era formado por Confiança-SE (classificado), Nacional-AM e São José-SP.

Copa Viareggio Cup Sub-21: eliminado na 1ª fase. Ficou em 3° no Grupo 4, que era formado por Nacional-PAR (classificado), Siena-ITA e Sampdoria-ITA. Foi a primeira participação do clube na competição italiana.

Taça BH Sub-20: eliminado na 1ª fase. Ficou em 4° lugar no Grupo E, que era formado por Criciúma, Coritiba e Uberlândia-MG (classificados), São Paulo e Operário-MG.

Gauchão de Juniores: eliminado na semifinal pelo Caxias, nos pênaltis. Desde 2007, os juniores gremistas não vencem a competição estadual da categoria.

Outra má campanha envolvendo a base do time júnior, com o reforço de jogadores que já integram o profissional (Busatto, Saimon, Fernando, Roberson e Bérgson), terminou em 24 de outubro. Enquanto os torcedores se aqueciam para o começo do clássico GRE-nal válido pelo campeonato nacional, no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, a equipe denominada Sub-23 ou Grêmio B, era eliminada da Copa Ênio Costamilan – a Copa FGF, já vencida pelo tricolor em 2006. Naquele ano, sob o comando dos desconhecidos Julinho Camargo e Rodrigo Caetano, brilhavam em campo promessas que se cumpriram: Léo, Willian Magrão, Adílson, Carlos Eduardo, entre outros. Prova do quão é importante levar a sério a competição.

Não foi bem o que aconteceu em 2010. Na 1ª fase, a Copa Ênio Costamilan contou com 18 equipes, divididas em três grupos com seis equipes cada (vale salientar que somente a dupla GRE-nal disputa a competição sem sua equipe profissional). À próxima fase, as oitavas, se classificavam 16 equipes. Ou seja, uma barbada. Os cinco primeiros de cada grupo garantiam 15 vagas, e o melhor 6° colocado de três ganhava a 16ª. Pois foi essa a que o Grêmio conseguiu com seus 10 pontos na Chave 1, um ponto a mais que o “glorioso” Riopardense, 6° da Chave 3.

A classificação conquistada no fio da navalha, era um mau prenúncio. Na 2ª fase, a do mata-mata, o Grêmio teve pela frente a entrosada e experiente (Cláudio Luiz, Marcio Hahn, Rodrigo Mendes e Michel) equipe do Novo Hamburgo, de boa campanha no Gauchão 2010. No primeiro jogo, no Olímpico, após sairmos atrás do placar, tivemos o zagueiro Saimon expulso. Fim de jogo: 4×1 para o adversário. No jogo da volta, no Vale, o time de Rodrigo Mendes foi impiedoso ao golear e eliminar por 4×0 “os meninos da Azenha”. Foram 12 jogos na competição, contando as duas fases, com 3 vitórias, 1 empate e 8 derrotas.

Em todas as competições, campanhas não condizentes com uma equipe de jovens valores que veste a camisa do Grêmio. O lateral Spessato, o zagueiro Gerson, os volantes Mateus Magro e Emerson, o meia Pessali e o atacante Wesley, que já integra o plantel dos profissionais. Todos colocados como possíveis “reforços” para a temporada 2011, a serem aproveitados na totalidade ou não pelo técnico Renato Portaluppi, a quem torço que continue. E tem Mithyuê para ser aproveitado em sua volta, e espero que o aproveitem.

No grupo atual à disposição do técnico, são 13 jogadores provindos das categorias de base, que ficaram por lá muito tempo ou só de passagem, como no caso de Mário Fernandes. Foi pouco tempo, mas o necessário para merecer o apelido de “Doril”.

Goleiros: Marcelo Grohe, Matheus e Busatto.
Zagueiros: Mário Fernandes, Neuton, Saimon.
Meias: Willian Magrão, Adílson, Maylson, Fernando e Roberson.
Atacantes: Bérgson e Wesley.

O plantel gremista é composto por 33 jogadores no total. Ou seja, 39% do elenco é composto por jogadores formados em casa. Pesquisando, me deparei com matéria do site da revista Placar, “Pérolas do Olímpico“, onde em determinado trecho fala que “no projeto tricolor de 2005, iniciado por Rodrigo Caetano e Júlio Soster, a meta era contar com pelo menos 50% do time formado em casa até 2011“. Estamos em vias de concretizar este objetivo no próximo ano? Fica a questão a quem pode responder: o clube.

Na mesma matéria da Placar: “A categoria de base foi um fator-chave para o Grêmio se reestruturar depois da queda para a segunda divisão, no fim de 2004. Sem dinheiro, o clube deu espaço para a garotada. O time subiu e, de lá para cá, revelou gente como Anderson, Lucas, Carlos Eduardo, Cássio, Rafael Carioca e Douglas Costa, cujas negociações renderam ao clube cerca de 40 milhões de euros“.

Com a volta de Odone, creio que o trabalho iniciado por ele em 2005, que sofreu reveses da atual diretoria, com demissões mal ou pouco explicadas pelo antigo assessor de futebol, e que, em campo, correspondeu às expectativas conquistando títulos em 2009, suponho, pelo que herdou da gestão anterior, o que em 2010, já sem o mesmo bom trabalho, fracassou, ganhe sobrevida e se reinicie oferecendo novamente ao Grêmio equipes competitivas e vitoriosas em todas as categorias de futebol. Principalmente, claro, no plantel profissional.

TÍTULOS EM OUTRAS CATEGORIAS

Se os juniores não conseguiram resultados exitosos, as equipes juvenil, infantil e pré-infantil deram títulos ao Grêmio. O juvenil conquistou em julho a Copa FGF Sub-17 e no estadual da categoria é líder da sua chave. O infantil venceu pela terceira vez o tradicional Efipan, de Alegrete, e também é líder do estadual. O pré-infantil conquistou o bicampeonato da Copa Votorantim.

DESISTÊNCIA DA COPA SUB-23

O Grêmio não disputa a Copa FGF Sub-19, não sei por qual razão. Mas o que me surpreendeu foi a desistência do clube em participar da Copa Sub-23, organizada pelas Federações de Futebol do Rio de Janeiro e de São Paulo. Seria, quem sabe, uma forma de não exibir talentos em uma competição que ganha, provalmente, a atenção e o assédio de olheiros europeus? Ou o temor de um possível vexame?

BRASILEIRÃO SUB-20

São 20 equipes participantes, divididas em quatro grupos com cinco equipes em cada. Este ano, de 6 a 21 de dezembro, seis cidades recebem os jogos: na 1ª fase, Caxias do Sul, Santa Maria, Alvorada e Santa Rosa; nas quartas-de-final, Caxias do Sul e Santa Rosa recebem as quatro partidas; nas semifinais, os jogos ocorrem em Canoas; e a final será disputada em Porto Alegre. Mais informações aqui.

O Grêmio está no Grupo 3, ao lado de Botafogo, Ceará, Cruzeiro e Grêmio Prudente. A sede do seu grupo é Alvorada, e os jogos acontecerão no Estádio Morada dos Quero-Queros, antiga sede do RS Futebol e atual do Pedra Branca.

As datas dos jogos do Grêmio.

1ª rodada – 06/12 – Botafogo x Grêmio
2ª rodada – 08/12 – Grêmio x Cruzeiro
3ª rodada – 10/12 – Ceará x Grêmio
4ª rodada – 12/12 – não joga/folga
5ª rodada – 14/12 – Grêmio x Grêmio Prudente

Fica a torcida para os jovens jogadores gremistas. Que consigam realizar um bom campeonato e lutar pelo terceiro título da competição. Força, Grêmio!

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Daniel permalink
    novembro 2, 2010 11:31 am

    Outro problema que me incomoda a falta de bons atacantes formados na base nos últimos anos. Claro que é sempre mais difícil se adaptar quando se tem a obrigação de fazer gols, sem contar “certos clubes” que gostam de se atravessar nas negociações e até aliciar as jovens promessas dos outros, mas me pergunto quando veremos novamente um guri entrar no time e estufar as redes com qualidade e competência.

    Torço muito para a volta do Rodrigo Caetano. Financeiramente, não sei como será essa briga com o Vasco, mas acho que temos a vantagem da estrutura oferecida e da volta do Odone à presidência.

  2. Rodrigo Diniz permalink
    novembro 26, 2010 1:52 am

    Eu sou gremista fanático e infelizmente não vi o mundial de 1983 (nasci em 85). Eu só queria saber uma coisa: por que a FIFA não reconhece o nosso mundial? Por que na página da FIFA não encontramos nosso escudo?
    Esses dias eu estava pesquisando a imagem da taça de 1983 e vi que dizia: COPA TOYOTA. Por que não se chamava MUNDIAL DE CLUBES? E tem um mapa da América do Sul e um mapa da Europa com o dizer: SUDAMERICAN Vs. EUROPAN … E quando eu fui no museu do imortal tinha um mapa da América do Sul + América Central + América do Norte + África + Ásia + Oceania dando a entender que todos os continentes participaram.
    Alguém poderia me responder o porquê destas contradições? Eu não quero mentiras e o que a RBS inventa… Eu quero a verdade! Não aguento mais ouvir meus amigos dizer uma coisa e a mídia repetir a mesma coisa e não encontrar fatos históricos que comprove que sou campeão do mundo. Por favor alguém me ajude. Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: