Skip to content

Brasileiro’10: Mais três pontos, mesmo oscilando

setembro 26, 2010

Para quem passou mais de um ano sem vencer fora do Olímpico pelo Campeonato Brasileiro, o Grêmio surpreendentemente aprendeu a ser um mau visitante para os seus anfitriões. Pela terceira vez seguida, o time de Renato Portaluppi colocou os três pontos na bagagem para Porto Alegre. A zona de rebaixamento vai se tornando um pesadelo passado, cada vez mais distante, enquanto que o Atlético Mineiro dá largos passos para a Série B.

O Grêmio começou a partida de maneira eletrizante, fazendo 1×0 logo no primeiro minuto de jogo, passe de Jonas para André Lima obrigar o goleiro Renan fazer grande defesa. Na sobra, o própeio Jonas chutou a bola para o gol. O golpe logo cedo foi sentido pelo Atlético Mineiro, que se desorganizou no seu campo de defesa.

O Atlético Mineiro ensaiou uma pressão sobre o Grêmio, mas a sua defesa estava completamente desordenada. Dorival Junior olhava para o jogo com a expressão de que haveria muito trabalho para tirar o Galo dessa péssima situação. Por sua vez, o Tricolor seguiu tocando a bola, aproveitando todos os espaços deixados pela defesa atleticana. Assim nasceu o segundo gol, com bela troca de passes entre Douglas e Gabriel, para o lateral ampliar o marcador para 2×0.

A partida estava fácil e não era exagero afirmar que o Grêmio poderia fazer o terceiro e até o quarto gol. Contudo, o time gremista tem o péssimo costume de dificultar partidas teoricamente fáceis. Sem definir, o Atlético cresceu e passou a dominar o jogo após 25 minutos. O Grêmio cometeu o mesmo erro diante o Flamengo: recuou demais.

O Atlético, empurrado pelo inspirado Daniel Carvalho, conseguiu se organizar e começou a dar trabalho, que deu resultado aos 30 minutos, em chute do camisa 10 alvinegro, com grande defesa de Victor, mas Diego Tardelli conseguiu cabecear a bola para o gol. De um clima pesado, com as primeiras vaias, a torcida do Galo recuperou a confiança. Mas seja por competência da nossa defesa, incompetência do adversário ou por sorte, o primeiro tempo terminou em 2×1 para o Grêmio.

Foto: Gil Leonardi, Lancepress

No segundo tempo, o Grêmio não melhorou a postura. Embora houvesse a esperança de Renato Portaluppi puxar as orelhas dos jogadores, parece que a reclamação não surtiu efeito e o torcedor gremista sofreu nos 49 minutos finais. Victor mais uma vez mostrou ser o melhor goleiro do Brasil, justificando novamente a convocação de Mano Menezes para os amistosos (esdrúxulos, diga-se de passagem) da seleção.

Sem ser um time, no ponto de vista coletivo, o Atlético partiu para jogadas individuais. Vilson sofreu com Neto Berola, erros individuais dos jogadores gremistas também deram aquela emoção que o torcedor não gostaria de sentir. Contudo, com o passar do tempo, o time do recém-chegado Dorival Junior começou a apostar desmesuradamente na jogada em que Obina seria de pivô com a finalidade de ajeitar a bola para Daniel Carvalho. Essa insistência facilitou o trabalho da zaga.

Também não entendi algumas decisões de Renato. Não tiraria Adilson, ao mesmo tempo em que Fernando não jogava bem. O Grêmio correu risco com Fábio Santos, que fazia faltas frequentemente, apesar de ter o cartão amarelo, aliás, que o deixou fora da partida contra o São Paulo.

Apesar do sufoco, o Grêmio conseguiu melhorar nos instantes finais e poderia ter definido o jogo com Roberson, que mandou a bola na trave. Para aumentar o drama, o árbitro Arilson Bispo da Anunciação deu exagerados quatro minutos (embora tenha feito boa arbitragem) de acréscimos. Mas o placar de 2×1 se manteve, dando mais uma vitória ao Grêmio, que se vê distante da zona de rebaixamento. O mesmo não se pode dizer do Atlético, que vive um inferno.

O Grêmio não será rebaixado, isso já é uma certeza. A equipe comandada por Renato é o time que mais pontuou neste segundo turno. Mas a péssima campanha deixada por Silas e Meira ainda surtem efeitos, que provavelmente persistirão até o final deste Brasileirão. Ainda é precipitado pensar na Libertadores, agora com apenas três vagas pela competição nacional.

Apesar da melhora na tabela de classificação, a maneira que o Grêmio oscila durante os 90 minutos preocupa. O time pressiona, chega a mostrar futebol de campeão, mas de repente se abdica de atacar, dando todo espaço para o adversário atacar. Isso explica vários pontos perdidos neste Brasileirão. Tal erro não pode ocorrer diante do São Paulo, no estádio Olímpico.


Anúncios
8 Comentários leave one →
  1. observador permalink
    setembro 27, 2010 1:41 am

    O Douglas não jogou bem hj,vi ele levar a mão constantemente à perna,como se sentisse algo,incrivel como o Gremio não consegue reter a bola no campo adversario,e como consegue transformar jogos faceis em verdadeiros filmes de terror.Naõ entendio pq o Renato não colocou o Lucio no lugar do sempre péssimo fabio Santos,e o pior o Gremio tem um time muito limitade e não tem reservas,e se estamos longe da zona de rebaixamento devemos isso muito ao “homem gol”.

    • Vinicius permalink
      setembro 27, 2010 6:00 am

      Parei de ler o comentário no “Lúcio…”

    • setembro 27, 2010 10:43 am

      Lúcio estava suspenso pelo terceiro cartão amarelo no jogo contra o Flamengo, por essa razão sequer foi relacionado. Mas deve ser titular contra o São Paulo.

  2. Daniel permalink
    setembro 27, 2010 10:53 am

    Quem deu o (belo) passe para a finalização defendida do André Lima foi o próprio Jonas e não o Adilson. E falando nisso, o cabeceio desperdiçado pelo centroavante – que seria o nosso terceiro – também nasceu de um cruzamento genial dele. Bem que eu imaginei que o Jonas voltaria a dar mais assistências com a entrada do AL no lugar do Borges, o duro é que elas não estão sendo bem aproveitadas.

    • setembro 27, 2010 10:58 am

      Nossa, agora me toquei pelo engano. Já fiz a correção no texto. Obrigado.

  3. Alfredo Carlet permalink
    setembro 27, 2010 11:23 am

    Três pontos tranquilizadores. Foco no bom time do São Paulo.

  4. observador permalink
    setembro 27, 2010 1:56 pm

    ´Pois é esqueci do cartão do Lucio,mas o Neuton,ou cone no lugar do Fabio Santos é melhor q deixar esse paerna de pau por lá!!!

  5. Frederico permalink
    setembro 28, 2010 1:21 pm

    Os quero-quero no olimpico guardam melhor a lateral que o Fabio Santos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: