Skip to content

Brasileiro’10: Um dia para não ser esquecido

setembro 12, 2010

O dia 11 de setembro de 2010 se tornou um dia para não ser esquecido pelo torcedor gremista. Tanto no Olímpico como no Pacaembu, o Grêmio obteve duas grandes vitórias, uma mostrando a força a democracia no nosso clube, enquanto que a outra pôs fim ao incômodo tabu de não vencer fora de casa no Brasileirão há mais de um ano, ao superar o Corinthians, por 1×0.

Contudo, não foi uma mera vitória sobre Corinthians, foi sim um triunfo com a cara do Grêmio. Mesmo sempre ficando com um pé atrás com esse tipo de afirmação, uma vez que isso mais servia para esconder as falhas do Tricolor, desta vez, há todo mérito pela conquista dos três pontos em São Paulo. O time comandado por Renato Portaluppi foi guerreiro em campo e mostrou uma eficiência defensiva espetacular.

Algo me dizia que a quebra do tabu seria mesmo o Corinthians. Tudo bem, falar agora é fácil.  Todavia, Adilson Batista errou ao poupar Roberto Carlos e Ronaldo, para preservá-los para a partida contra o líder Fluminense, na próxima quarta-feira (15), sendo que já tinha as ausências de Dentinho, Alessandro e Chicão.

Essa decisão do nosso Capitão América teve como grande falha em subestimar o Grêmio, que já apresentava melhoras nas mãos de Portaluppi. Mesmo assim, o técnico corintiano teve sorte, porque o time de Muricy Ramalho também perdeu para o Atlético Goianiense, mas caso vencesse, o prejuízo para o Corinthians seria enorme.

Foto: Eduardo Viana, Lancepress

Além disso, Grêmio e Corinthians formam um dos principais clássicos do futebol brasileiro e isso é um consenso tanto no Rio Grande como em São Paulo. Os dois clubes decidiram duas Copas do Brasil e cada um a levou na casa do adversário, além do Tricolor ter rebaixado o clube alvinegro em 2007. Portanto, da mesma maneira que o Corinthians quebrou a invencibilidade do Tricolor no Olímpico no Brasileirão, o Grêmio também poderia dar fim ao aproveitamento de 100% do Corinthians no Pacaembu.

O jogo começou equilibrado, mas com o Grêmio tomando as ações ofensivas, como se jogasse no Olímpico. O Corinthians buscou equilibrar o jogo e viu em Jucilei como o seu principal jogador em campo. Ainda assim, o Tricolor foi superior e mereceu sair na frente no placar, com um golaço de Douglas, talvez o mais bonito deste Brasileirão. Em velocidade, o camisa 10 tricolor fez com que a bola passasse por debaixo das pernas de Paulo André e chutou consciente  para o ângulo direito de Julio César, que sequer se mexeu.

Apesar do Corinthians exigir uma ou outra defesa de Victor, o Grêmio estava mais próximo do segundo gol do que estava o adversário em relação ao empate. Borges perdeu uma grande chance para ampliar o marcador e Jonas pecou na finalização, após fazer bela jogada individual. A postura do Grêmio no Pacaembu em nada lembrava aquele time preguiçoso fora do Olímpico. Com aquele primeiro tempo, a sensação de vitória se tornou quase uma certeza.

Porém, o Corinthians cresceu no segundo tempo e passou a  pressionar mais o Grêmio no campo de defesa. Adilson Batista fez com que o time usasse mais as laterais, para dificultar as ações da defesa gremista. O Tricolor, por sua vez, recuou e, quando atacava, encontrava dificuldades para superar a marcação corintiana.

O árbitro Francisco Carlos Nascimento, porém, resolveu vestir a camisa corintiana e deu um pênalti inexistente de Vilson em Bruno César. O jogador alegou que foi ombro no ombro, o que caracteriza jogo de corpo, mas o alagoano não quis saber e ainda expulsou o zagueiro gremista. O prejuízo só não foi maior porque Victor, o melhor goleiro do Brasil, defendeu o seu quarto pênalti neste Brasileirão, em cobrança de Iarley.

Foto: Gustavo Tilio / Lancenet

Com um a menos (ou dois, se preferir considerar Francisco Carlos Nascimento como o 12° jogador corintiano em campo), o Grêmio não teve outra opção senão segurar a vitória. Então surgiram os heróis dessa partida. Victor dispensa comentários, pois além do pênalti defendido, fez outras grandes defesas e teve malandragem para parar jogo enquanto podia. Rafael Marques colocou seu pé santo na trajetória da bola, cujo destino era as redes, no lance seguinte à penalidade desperdiçada.

Adilson também foi demais, assim como Ferdinando. Gabriel foi seguro na marcação, algo que não se caracteriza, enquanto que Fábio Santos também não jogou mal. Para reforçar a defesa, Renato colocou Paulão em campo, que, ao estilo Paulão, mandou pra longe todas as bolas que se aproximavam da área, obtendo assim uma grande participação. Roberson entrou para buscar maior penetração na defesa corintiana, o que até fez bem, enquanto que Lúcio foi a campo para dar mais velocidade aos ataques.

Apesar de toda pressão do Corinthians, o Grêmio conquistou os três pontos, manteve a freguesia corintiana e vem obtendo uma sequência de resultados positivos com Renato Portaluppi. A confiança foi recuperada e a zona de rebaixamento está cada vez mais distante. Agora é pensar no Palmeiras de Felipão, que se fará presente na festa de aniversário de 107 anos do Grêmio. A próxima quarta-feira, 15 de setembro, promete ser uma grande noite.



7 Comentários leave one →
  1. giovani montagner permalink
    setembro 12, 2010 3:02 pm

    empolgante a vitória. o time mostrou personalidade para jogar fora de casa e consistência defensiva, algo que a tempo não tinhamos.
    ainda acho os zagueiros fracos e o lateral direito, gabriel, centraliza demais quando ataca. souza precisa ser mais participativo, foi discreto ontem. adilson tem que ser titular, não pode ser reserva, e precisa urgentemente passar melhor.
    é cedo para maiores ambições, mas a nítida evolução tranquiliza. veremos como serão as próximas rodadas.

  2. Alfredo Carlet permalink
    setembro 12, 2010 3:04 pm

    Rotina o GRÊMIO ser massacrado pela comissão de arbitragem da cbf eivada de colorados.
    Seis pênaltes contra, um a favor, descritérios irritantes…
    Nos falta a força política de amigos do poder, como Internacional e Corinthians.

  3. Juliano permalink
    setembro 12, 2010 5:04 pm

    Arbitragem tendenciosa, foi um absurdo, o tricolor é um dos times mais prejudicado por arbitragens sempre. Falta muita força política, temos Koff no clube dos 13, mas ele está mais preocupado em dar conselhos a Fernando Carvalho do que se preocupar com o Grêmio. Não podemos nos iludir , esse ano a briga é para não cair. Ainda bem que essa direção está indo embora e que venha Odone ano que vem. Força Grêmio

  4. observador permalink
    setembro 13, 2010 1:23 am

    Uma vergonha essa ladroagem a favor do Corinthians,o Douglas fez um golaço iso é fato,mas não jogou bem ,vi ele perder uns lances bobos e armar no mínimo 3 contra ataqes alvinegro..tomara q ele jogue sempre “mal” assim e faça gols.Agora é ganhar do Palmeiras em casa.

  5. borracho permalink
    setembro 13, 2010 3:02 pm

    Pois eh, pq o Fabi oKoff nao faz algo de bom pelo Gremio e usa a força politica dele no centro do pais pra acabar com essa robalheira contra o Gremio?

    A vitoria contra o timinho desfalcado foi importante mas tambem mostrou algumas coisas no nosso time. O Souza definitivamente nao pode ser capitao, no momento de comemorar a vitoria e unir time e torcida ele q nem jogou nada na partida resolve atacar os torcedores (e nao eh primeira vez);

    A falta q faz um xerifao na zaga… essa foi uma partida de extrema exceçao do Rafael Marques no Gremio, ja se tivessemos um xerifao de qualidade na zaga poderiamos ter garantido varios pontos em outras partidas nesse ano;

    Borges nao chega aos pes do Maxi Lopez! (hehehe)

    A falta q faz um primeiro volante… se com o Ferdinando ajudando o Adilson as coisas melhoraram imagina com um camisa cinco de qualidade e ainda capitao do time. A direçao ja poderia ter se tocado disso ha tempos e aproveitado a janela pra reforçar, mas ainda ha esperança! MALDONADO, chileno e baita volante, nao esta sendo aproveitado nos flavelados, tem apenas 4 jogos entao ainda pode ser negociado! Eh a oportunidade de ouro pro Gremio pois podemos reforçar uma posiçao carente e ainda nos livrar dos nabas q ficam sugando nossos cofres mensalmente. Bem q poderiam trocar pelo Leandro, Uendel, Henrique e cia.;

    Com a volta do Mithyue e do Mario Fernandes e a contrataçao do Maldonado da ate pra sonhar com uma vaga na libertadores.

  6. borracho permalink
    setembro 13, 2010 3:07 pm

    Faltou um pedaço…

    Borges nao chega aos pes do Maxi Lopez! (na verdade bate na cintura dele hehehe) Andre Lima tem q receber mais chances pois pelo menos ele briga pela bola la na frente;

  7. Daniel permalink
    setembro 13, 2010 5:52 pm

    Estamos mesmo precisando de um jogador como o Maxi López. O Loco Abreu tem um biotipo e estilo de jogo parecido (apesar de já estar meio velho) e é importantíssimo no Botafogo. Talvez o André Lima possa fazer essa função, mas tem que ver o adversário também. Às vezes um ataque mais leve cai melhor.

    De qualquer forma, foi uma ótima vitória e mais uma demonstração de que a raça gremista está voltando a surgir nesse time de que tanto duvidávamos que um dia seria parecido com o Grêmio que conhecemos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: