Skip to content

Brasileiro’10: O efeito Portaluppi

agosto 15, 2010

Qualquer tipo de análise a respeito do trabalho de Renato Portaluppi pode parecer precoce. Mesmo assim, a vitória do Grêmio pelo placar de 2×0 contra o Goiás foi emblemática para constatar as diferenças entre o novo técnico gremista e o seu antecessor, Silas.  Se o Tricolor não fez uma partida fora de série, ao menos, claramente evoluiu com apenas quatro dias com o ídolo na casamata.

Renato optou pelo esquema 3-6-1, digno de grande desconfiança. Talvez aí seja a minha única crítica ao treinador, uma vez que essa formação exige muito tempo de treinamento e obriga os meias e os alas serem bastante atuantes no setor ofensivo. Apesar disso, o Grêmio foi superior ao Goiás nos 90 minutos e Victor pouco trabalhou nesta noite de domingo.

Embora seja ainda um trabalho recém-iniciado no Olímpico, já se pode perceber o efeito Renato. Primeiro deles é a reabilitação de dois personagens muito criticados nas últimas semanas: William Magrão e Douglas. Um passou a jogar como volante e não como zagueiro. O outro voltou a jogar bola e, com certeza, podemos dizer que houve conversa com ele. E os dois fizeram uma excelente partida e foram fundamentais para os dois gols contra o Goiás.

No primeiro, o meia manda a bola na trave e o volante, com a camisa 9, mostrou oportunismo e fez o gol aos 32 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, Douglas fez assistência em cobrança de falta e Magrão mandou, de cabeça, bola para as redes aos 18 da etapa final. Ironia é não havia muita fé nos dois jogadores antes da bola rolar, sendo que o Douglas chegou a ser vaiado. Porém, ao ser substituído por Fernando, após os dois gols, os protestos deram lugar para aplausos.

Foto: Gremio.net

O time conseguiu ter mais posse de bola e fazer tabelas, algo inimaginável com Silas. Uma das críticas mais frequentes ao ex-treinador gremista era o fato dele não conseguir fazer com que a sua equipe errasse menos passes. Com Renato, em sua segunda partida, isso se tornou notável, inclusive, com belas trocas de passes e toques rápidos.

A defesa também se tornou mais estável. Embora reconheça que é uma equipe fraca, o Goiás quase não ameaçou o Grêmio durante o jogo. Neuton, outro destaque da partida, fez uma partida ruim na última quinta-feira, mas recebeu o apoio do técnico e brilhou nesta noite no Olímpico.

O mais importante, porém, é ver um técnico de coragem. Com o Grêmio vencendo por 2×0, ao invés de só pensar em garantir o placar, Renato colocou em campo Borges, deixando o time com dois atacantes. Essa atitude praticamente não ocorria com Silas, que metia um volante ou tirava um atacante até mesmo quando o time não vencia.

São pequenos detalhes que fazem toda a diferença. Não digo que tudo mudou, pois ainda existe muito trabalho para ser feito no Olímpico, como definir esquemas e titulares. Renato conseguiu superar as dificuldades contra o Goiás também na base da motivação. Mas hoje, o Grêmio está fora da zona de rebaixamento e passa a impressão que não irá permanecer lá. Nisso, já podemos dizer que há um efeito de Renato Portaluppi.


Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. giovani montagner permalink
    agosto 16, 2010 12:13 am

    foi alentador o resultado e, principalmente, o comportamento da equipe. mesmo com todas as ressalvas, o Grêmio praticamente não correu riscos, mantendo a posse da bola e com tranquilidade.
    não tenho o que acrescer no post, só uma dúvida quanto ao posicionamento do jonas. ele jogou bem no papel de único atacante, enfiado entre os zagueiros. porém, quando o borges entrou e ele recuou um pouco o Grêmio quase fez dois gols. essa é a questão, só o jonas no ataque ou ele e mais um?
    parabéns ao renato, não acreditava que em apenas um jogo houvesse significativa melhora.

    • agosto 16, 2010 12:53 am

      Eu prefiro Jonas e mais um, pois achei que ele estava isolado em certos momentos.

      • giovani montagner permalink
        agosto 17, 2010 1:15 am

        também prefiro. atrevido como ele anda, vindo com a bola dominada a chance de fazer uma boa jogada e gol aumenta.

  2. Alfredo Carlet permalink
    agosto 16, 2010 12:29 am

    Tres pontos fundamentais…

  3. Rennan Oldra permalink
    agosto 17, 2010 12:51 am

    Olha, dizer que foi totalmente mérito do Renato é besteira. Até porque a torcida do Grêmio nunca sequer apoiou o time daquela maneira em sequer um jogo quando o Silas era técnico.

    Agora, dizer que o Renato não teve nada a ver com isso é outra besteira maior ainda.
    Vejo nele algo que faltava no Silas, como, carisma com os jogadores, a confiança que o Renato passa para os jogadores. E outra, nunca vi o Douglas jogar tão bem, e com direito a carrinho. Tomara que essa Nova Era Renato seja como aquela de de 1983 😀

    O Renato tem um grande caminho pela frente e acho que vai dar certo, até porque ele sabe qual é o Grêmio que a torcida quer ver…

    Um Grande abraço

  4. Filipe almeida Hackford permalink
    agosto 17, 2010 2:12 am

    William “Mandibula” Magrão é o próximo camisa 9 da seleção,ha,ha,ha,ha,ha.

    Melhora houve sim, mas é cedo pra achar algo, espero que o time emende vitórias seguidas
    pra ganhar uns elogios, ainda é delicado o posicionamento na tabela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: