Skip to content

Cautela exagerada ou incompetência?

julho 23, 2010

Foto: Divulgação/Gremio.net

Quando foi vinculada a demissão de Silas apenas ao resultado contra o Vasco da Gama, o presidente Duda Kroeff e diretor Luiz Onofre Meira apenas demonstraram que ambos não conseguem enxergar um jogo além do placar final. Clube grande vive de resultado e, também, de futebol bem jogado. Além disso, essa postura é totalmente incoerente, uma vez que se não confia no treinador, então qual razão em mantê-lo?

A chuva desta quarta-feira pode ser usada como desculpa para manter Silas e (óbvio) Meira? Pois não concordo, visto que se caiu um dilúvio para o Grêmio, as mesmas condições teve o Vasco. O campo encharcado e castigo do tempo impuseram iguais dificuldades aos dois times. Ainda assim, o clube carioca teve boas chances de sair do Olímpico com os três pontos.

Mais importante e preocupante disso é que em 10 jogos, o Grêmio conquistou apenas 10 pontos. Contra o Vasco, São Pedro não ajudou. No entanto, também houve chuva nas outras nove partidas? Por essa razão, fico preocupado, pois tanto o nosso presidente quanto o diretor de futebol não enxergam o óbvio. O time não acerta passes, não tem jogada ensaiada, não tem obediência tática e não tem posse de bola. Isso explica a péssima colocação na tabela.

Óbvio que Silas não é o único culpado e Meira tem a mesma responsabilidade. Tanto que a demissão de um não basta se não estiver acompanhado do outro. Também não podemos esquecer da parcela de culpa dos jogadores. Mas se falta comprometimento por parte deles, não é função do técnico e do  diretor de futebol mostrarem qual a importância do clube que eles estão defendendo? Pois não se nota isso.

Não apenas é sentida a falta de puxão de orelha, mas é incômoda a falta de mobilização do Departamento de Futebol em sanar as carências do time.  Basta passar nos sites esportivos para verificar que os outros clubes da Série A estão contratando, enquanto que o Grêmio está parado. Nem parece que temos apenas um lateral-direito ou um volante de verdade no elenco, assim como não existe um atacante de velocidade.

O absurdo é tanto que Duda Kroeff admitiu que ninguém cogitou outra possibilidade no ataque além de Éder Luis. Entretanto a função de um dirigente não é garimpar jogadores, mesmo que o mercado seja escasso? A falta de visão do Grêmio é tão óbvia, que o São Paulo e o Avaí se tornaram matrizes do nosso time. Se o jogador é bom, nada contra que este seja oriundo desses clubes. Contudo, só existem opções no Morumbi e na Ressacada?

A solução poderia ser a base, mas este recurso Silas abandonou. Pensei que o técnico fazia bom trabalho, ao dar espaço para Neuton e Mário Fernandes. Mas este garoto sofreu com críticas do técnico em plena imprensa, sem haver razão de queimá-lo para os quatro cantos do Rio Grande. Além disso, se Magrão não vem jogando nada e Rochemback não sabe o que é marcar, por qual razão os volantes da base não têm vez? Todos sabemos que Adilson está sobrecarregado na função.

Apesar disso, tudo está parado.  Meira justifica a permanência de Silas ao primeiro semestre. Oras, estamos testemunhando Ricardo Gomes ser pressionado num São Paulo melhor colocado na tabela do Brasileirão e numa semifinal de Libertadores. Então essa desculpa do nosso diretor é fraca. É verdade que o Grêmio foi bem na Copa do Brasil, ainda assim, sua campanha não é motivo de orgulho para um torcedor  que comemorou esse título por quatro vezes. Tampouco o Gauchão é o suficiente para um ano inteiro de festa.

Demitir técnico não é solução mágica, nesse ponto estou de pleno acordo. Este tipo de pensamento, enraizado em nossa cultura futebolística, fez várias vítimas por  meio de injustas. Porém, quando o técnico se mostra incapacitado, então qual a razão de mantê-lo? Com todo respeito, esperava mais de Silas. Porém, pelo que vem mostrando, Adilson Batista e Tite são mais confiáveis.

Embora a situação seja crítica com clube na zona de rebaixamento, Meira é cauteloso, como ele mesmo diz. Apesar disso, se o Mano Menezes for para a SeleNike, Adilson assumir para o Corinthians e o Tite arrumar um emprego, como fica se neste momento for constatado que Silas não serve? A cabeça pensante de Meira conseguirá uma solução mágica? É exatamente essa possibilidade que temo.

Anúncios
10 Comentários leave one →
  1. Mauricio Roberto permalink
    julho 23, 2010 1:34 am

    Ola Bruno, blz???
    Cara, seguinte ontem pela Tv a torcida do Gremio exagerou cara!!!
    Na hora do hino nacional claramente foi abafado pela torcida cantando o hino do Rio Grande do Sul, mas logo apos do hino nacional nao seria cantado o hino riograndense???

    Depois os gauchos nao entendem pq sao chamados de separatistas!!! Nao precisava disso!!!

    Penso que um dia o Gremio nao sera mais brasileiro e nao terei mais um time de futebol, pois nao sou gaucho!!!
    Pena que a torcida do Gremio chega a esse ponto e o jogo passou para todo Brasil.

    Quanto ao jogo, pessimo, polo aquatico!!!

    • Claudio COLORADAÇO permalink
      julho 23, 2010 5:17 pm

      Liga não véio , isso é pq já levaram 2 bordoadas na segundona , um dia o trauma passa e a lucides vem junto srrssr

  2. julho 23, 2010 8:27 am

    Tudo bem, Mauricio?

    Sinceramente, acho que o hino nacional antes de cada jogo é completamente inútil. Claro que por bons modos e elegância, deve sim se respeitar a execução desse ato. Agora, essa medida é inócua, pois banaliza o hino e ainda nada faz na base de tudo: nas escolas. Não adianta obrigar a execução do hino nacional antes de cada jogo se a população brasileira não tem a mínima educação para respeitá-lo.

    Não é apenas a torcida do Grêmio. Em todos os jogos, é possível observar que a torcida, seja de qualquer clube, está cantando músicas ou gritos de apoio ao time ou outra coisa, menos o próprio hino nacional. Situação bem diferente da Europa, onde percebe que se o torcedor não canta, ao menos fica em silêncio e respeita, com algumas exceções.

    Agora, sobre o fato de a torcida cantar o hino rio-grandense na execução do hino nacional, isso inegavelmente foi deselegante. Mesmo assim, tento enxergar isso num ponto de vista social também. Fiz uma matéria de faculdade sobre o patriotismo existente no Brasil de quatro a quatro anos em Copas do Mundo e a razão dele não ser presente no dia a dia.

    Logo, ao entrevistar algumas pessoas, percebi que falta um elemento histórico no Brasil que seja unanimidade para ser um orgulho nacional e a política culturalmente é ligada à corrupção na cabeça do brasileiro.

    Na história, poderia se citar a Rev. Constitucionalista em SP. Mas em que isso ajudou no Nordeste, por exemplo? Nada. Repare que o Brasil não tem, em sua história, uma revolução popular ou de grande impacto por todo seu território. Daí, cito duas, como exemplos, que mudaram nações: Rev. Francesa e Rev. Russa de 1917.

    O gaúcho segue numa outra vertente, pois tem uma história mais independente e está numa área de convergência cultural com outras duas nações. Na história gaúcha, existe a Rev. Farroupilha, Rev. Federalista e até a Campanha da Legalidade. Então, vejo até com naturalidade o fato de muitos gaúchos terem mais orgulho da bandeira do RGS do que do Brasil. Justifica o que ocorreu no ato do hino? Não acho, mas explica, em parte, a razão desse acontecimento.

  3. Frederico permalink
    julho 23, 2010 10:31 am

    Estou de acordo que seja cantado o hino Rio-Grandense quando executado o hino Brazileiro. Não vejo o porque da execução de dito hino do pais do Norte. Sendo assim não devería ser executado o hino Uruguaio e Argentino também ? o Brazil é o maior responsavel do estado atual do nossa Republica Rio-Grandense, sugando nossos recursos através de impostos, por quê então deveriamos render homenagem a esses piratas ?

  4. julho 23, 2010 11:47 am

    Galera, sei que a culpa também é minha, mas vamos nos focar no assunto proposto pelo post. Grato.

    • Frederico permalink
      julho 23, 2010 11:55 am

      Ok, desculpe, é que estou cansado de sempre ouvir a mesma ladainha de nossos comentaristas esportivos quando tem jogo do Grêmio e isso acontece.

  5. Gustavo permalink
    julho 23, 2010 1:48 pm

    Entao Frederico faz o Rio Grande do Sul independente e nao precisa mais vc ficar disrespeitando o Brasil cara. Ideologia inutil e sem futuro.

    Sempre pensei no povo gaucho como gente culta e superior na educação e outras coisas, mas cada vez mais a torcida do Gremio mostra pra mim falta de respeito que existem entre vcs(gauchos) e mais aquilo q a gente chamo de respeito e educação.

    Gente q se acha melhor q os outros(estados) realmente nao poderiam fazer parte dessa naçao.

    Sou gremista e nasci em Alagoas e me envergonho desce ato gremista. Concordo com o Maurico, gaucho pensa q nao é Brasil. O Gremio é nacional, nao estadual seu gaucho metido!!!!

  6. julho 23, 2010 2:18 pm

    Gustavo, aprenda a não generalizar. Assim como você, não nasci no RGS, mas sei que esse pensamento é adotado uma minoria. Então pense duas vezes antes de falar dos gaúchos de forma generalizada.

    E pedirei mais uma vez que não desviem o foco do post, pessoal. Já deixei o recado e não vou repetir outra vez. Na próxima, serei obrigado a excluir.

    • Claudio COLORADAÇO permalink
      julho 23, 2010 5:47 pm

      Tá então Bruno , comentando o assunto do post , pra mim é imcopetencia mesmo e continuando assim vai ficar mais ainda russa a coisa , abraços 🙂

  7. julho 23, 2010 4:48 pm

    INCOMPETENCIA, nao tem outra resposta….

    Abraço,

    Fernando
    http://www.mafiadoapito.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: