Skip to content

Imprensa vermelha, lendas urbanas e fatos

julho 17, 2010

Ainda existe colorado que acredita fielmente que o Grêmio fez parte de uma virada de mesa no ano de 1992. O mesmo torcedor que acredita nessa lenda urbana, também é omisso e aprova a atitude do clube quando tenta burlar as regras em benefício próprio. Foi assim quando tentaram, por meio de lobby, fazer com que a Conmebol mudasse as regras da Sul-Americana para dar a vaga na Libertadores  em meio à disputa do torneio em 2008 e agora inscrição dos jogadores para a semifinais da competição sul-americana neste ano.

Sempre defendi a vaga para Libertadores ao campeão da Sul-Americana, assim como acho exagerada a CBF apenas aceitar jogadores vindo do futebol estrangeiro no mês de agosto. No entanto, a mudança de regra não deve ocorrer durante a sua aplicação ou no decorrer do torneio. Que se mude a regra de inscrição dos jogadores, mas a partir de 2011, não agora, visando beneficiar um clube.

Pior do que um colorado fechar os olhos para as práticas do seu clube, ao mesmo tempo em que tenta olhar sujeira nos outros, é a benevolência e omissão da imprensa gaúcha quanto a isso. Já lemos por meio dela que o São Paulo rouba jogadores dos outros clubes de forma antiética, mas quando o queridinho da imprensa faz o mesmo, todos se calam. Agora, nossos “isentos” jornalistas (não são todos, mesmo assim uma parte considerável) levantaram a bandeira a favor do Inter.

Exemplo disso é o comportamento do Leandro Behs, do blog Dupla Explosiva. Reparem que além de postar assuntos exclusivos ao Inter, ele segue numa campanha inabalável para que a CBF antecipe as janelas de transferência. Nada contra se ele é colorado, apenas diria para que reconhecesse em público que trabalha para imprensa em prol do Inter, uma vez que assim teria maior respeito por parte dos gremistas. Mas muitos querem vestir a carapuça de “isentos”.

Essa mesma imprensa, por volta e meia, cita a suposta virada de mesa em 1992, sequer menciona o fato do Inter ter obtido a vergonha de ser rebaixado pela FIFA em 1995, por calote envolvendo Silas, quando ainda era jogador. Quando o técnico chegou ao Olímpico, a crônica esportiva, que adora relembrar e fazer comparativos, sequer citou o episódio. Estranho, não é?

Hiltor Mombach, cuja simpatia de alguns gremistas se torna algo que não consigo entender, resolveu alimentar essa polêmica em seu blog. Porém, fato é que não houve virada de mesa em 1992, simplesmente porque para isso ocorrer, é necessário uma mudança de regras DURANTE A COMPETIÇÃO ou APÓS O TÉRMINO DA COMPETIÇÃO com intuito de beneficiar um ou mais clubes.

No caso do Grêmio, a decisão da CBF em dar a classificação aos 12 primeiros colocados se deu em 7 de janeiro de 1992 e a bola rolou de fato em fevereiro do mesmo ano. Portanto, não houve virada de mesa, o que torna esse boato mera lenda urbana.

Também é lenda urbana dizer que o Inter jamais foi rebaixado. Foi sim, da maneira mais vergonhosa que existe: por calote. Os colorados enchem o peito para dizerem que são “Campeões do Mundo FIFA”, mas a verdade é que eles são os “ÚNICOS REBAIXADOS FIFA”. Salvo pelo gongo e por meio de muita politicagem, o Inter não jogou a Série B, mas é fato que o seu rebaixamento ocorreu. Isso está na história, não se muda, por mais que tentem.

*

No inicio de 1992, comecou a ser definido o torneio. A competição inicialmente deveria ser disputada por apenas 24 clubes.  Em 7 de janeiro de 1992, a CBF mudou o nome da disputa, passando de Divisao Intermediaria para Divisao Classificatoria, uma vez que 12 clubes se classificariam para a Série A de 1993. A CBF anunciou ainda que 32 clubes participariam, sendo os “24  primeiros da Divisao Intermediaria de 1991 e oito clubes indicados pelas Federacoes sem representante”. Assim criou-se 8 vagas  para as seguintes federacoes: MG, AM, DF, MT, MS, PI, SE e PB. Foi definido que teriamos 4 grupos de 8, tendo como cabecas de chave: Gremio, Coritiba, Santa Cruz e Vitoria. (RSSSF Brasil)

*

No inicio de 1992, comecou a ser definido o torneio. A competicao inicialmente deveria ser disputada por apenas 24 clubes.
Em 7 de janeiro de 1992, a CBF mudou o nome da disputa, passando de Divisao Intermediaria para Divisao Classificatoria,
uma vez que 12 clubes se classificariam para a Série A de 1993. A CBF anunciou ainda que 32 clubes participariam, sendo os "24
primeiros da Divisao Intermediaria de 1991 e oito clubes indicados pelas Federacoes sem representante". Assim criou-se 8 vagas
para as seguintes federacoes: MG, AM, DF, MT, MS, PI, SE e PB. Foi definido que teriamos 4 grupos de 8, tendo como cabecas de
chave: Gremio, Coritiba, Santa Cruz e Vitoria.
Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. Alfredo Carlet permalink
    julho 17, 2010 6:57 pm

    São colorados fanáticos que esquecem que somos nós leitores que compramos uma publicação teoricamente isenta…
    E as chefias ?! Os donos dos jornais?!

  2. Tiago permalink
    maio 29, 2016 4:19 pm

    birrebaixados!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: