Skip to content

Copa do Mundo 2010: O que me comoveu e segue me comovendo

julho 3, 2010

Foto: Rodrigo Arangua, AFP

Já deixei claro neste blog que a minha torcida nesta Copa é pelo Uruguai. O que de certa forma, causa inconformismo de alguns visitantes, que pregam aquele patriotismo verde e amarelo. Particularmente, tenho convicção que esse tipo de orgulho nacionalista é uma grande hipocrisia.

Se alguém for patriota no 7 de setembro, que faça algum serviço para combater nossos problemas sociais ou se pinte com as cores de nossa bandeira em dias de eleições para escolher um bom representante para o nosso país, aí sim pode vir neste post e protestar. Caso seja o patriota de quatro em quatro anos, por favor, não venha me encher.

Pois bem, antes desta Copa, confesso que estava dividido entre o Brasil e o Uruguai. Mas é impossível não se comover com a garra e, aquilo que faltou a nossa seleção e tem de sobra nos nossos hermanos: humildade. Os jogadores de Oscar Tabárez sabem que não se comparam às gerações mais vitoriosas da República Oriental do Uruguai. Ainda assim, eles tentam compensar isso, defendendo o seu povo com garra e persistência. Embora seja brasileiro, orgulho-me da Celeste. Então imagine o povo uruguaio.

Infelizmente, estava no trabalho, enquanto o jogo ocorria no Soccer City. Mas vi em lances e li em sites a vitória épica de uma seleção de Guerreiros, não aqueles da propaganda de cerveja, e sim aqueles que tratam seus ídolos como deuses e lutam para restaurar a glória do futebol uruguaio. Essa seleção sim me comove, aquela em que o atacante Suárez se transforma em goleiro junto com mais de 3 milhões de uruguaios e mais aqueles admiradores do futebol aguerrido dessa equipe.

A Celeste, que possui laços com o Grêmio (o azul celeste, a dramaticidade, o estilo de futebol e ídolos como De León), merece nossa admiração. Essa é a minha seleção de coração, assim como o Grêmio é a minha religião. E é essa garra dos jogadores uruguaios, que quero ver novamente presente no time gremista.


Off-Topic: Pessoal, para não passar despercebido por esses dois últimos posts, ainda recomendo leitura da Coluna Antes do Fim de Semana a respeito dos tristes e lamentáveis fatos ocorridos no dia 2 de julho de 2009. Quem tiver algum testemunho a respeito, comente:

Coluna Antes do Fim de Semana: 2 de julho de 2009

10 Comentários leave one →
  1. julho 3, 2010 11:11 am

    Uruguay!
    Uruguay!
    Uruguay!

    http://gremionline.blogspot.com/2010/07/gremio-online-na-copa-el-triunfo-de-la.html

  2. Gustavo Alfaro permalink
    julho 3, 2010 3:08 pm

    Vamo La Celeste Olimpica Carajjjjoo!!

  3. julho 3, 2010 9:38 pm

    Cara, que jogo. Foi uma loucura! Foi inacreditável! Foi uma Batalha dos Aflitos no Mundial, e com a Celeste! E não fui eu que disse isso. Não me resta dúvida de que a arbitragem foi instruída a fazer tudo o que fosse necessário para que Gana passasse às semifinais. Árbitro e assistentes garfaram o Uruguay em CADA lance, TODO o tempo!

    Muitas faltas dos ganeses não foram marcadas. As mais fortes não foram punidas com cartão, nem sequer por acumulação, nem na 20ª falta consecutiva! Com os uruguaios era ao contrário. Respirou perto, o apito soava. Bateu, tomou cartão. E os ganeses ainda se aproveitavam disso. De um lado, o assistente marcava um impedimento de Suárez que não existia. Do outro, o outro assistente deixava passar DOIS impedimentos seguidos e claríssimos dos ganeses na mesma jogada! Pra não falar que houve um pênalti claríssimo em Abreu no segundo tempo.

    Assim, eles, os “homens da lei”, cortaram o jogo do Uruguay, que continuava lutando, e jogaram os ganeses pra cima da Celeste. Foi um roubo descarado! Bem, isso já é costume na FIFA. Vide as vitórias da Coreia do Sul contra Itália e Espanha, nas oitavas e quartas de final, na Copa de 2002. Foi o mesmo esquema. E isto dá ainda mais valor a vitória charrúa, que a diferença das outras equipes, não foi vencida!

    Quem não comenta sobre isto é porque não pode (por questões profissionais) ou porque está pouco se lixando para o Uruguay. Fosse com Brasil ou Argentina teriamos um escândalo de proporções bíblicas, certamente.

    A falta, na lateral, que originou o lance do pênalti sequer existiu. O bandeirinha inventou na cara dura. Depois, no lance, há um impedimento não marcado de um ganês que tenta pegar um rebote. Ou seja, a jogada deveria ter sido anulada antes de Suárez ter que fazer o que fez.

    Mas melhor assim! Justiça foi feita. É mais uma hitória de heroísmo puro para contar mil vezes e se emocionar em cada uma. Mais uma vez ficou provado que time com garra e coração jamais cairá diante dos trapaceiros! Assim foi com o Grêmio, assim foi com a Celeste! Inacreditável!

    Já posso ver Lugano levatando essa copa.

  4. Ígor de Grêmio permalink
    julho 3, 2010 10:03 pm

    Vamos Uruguay, queremos a Copa

  5. julho 4, 2010 5:40 pm

    Dá-lhe Brunão! Nossa vc me surpreendeu. que belo texto!
    Queria compartilhar contigo : na vitória da Celeste me trouxe à lembrança as emoções vividas na gloriosa Batalha dos Aflitos!

    bjus

    • julho 4, 2010 8:10 pm

      Oi Laura, há quanto tempo? Também fiz a mesma analogia da Batalha dos Aflitos com a extraordinária vitória contra Gana. O que ocorreu naquele jogo foi histórico.

      A gente ainda se vê por aí.

      Beijo.

  6. Jose Fernandes permalink
    julho 4, 2010 7:03 pm

    Ha cara, que puxa saco dos Uruguaios!!!!
    Que bom que o Uruguai passou, mas esse puxa saco exacerbado para o Uruguai meu!!!!
    Bruno vc é paulista cara!!! Nao precisa falar e sentir como uns gremistas que se acham uruguaios(até parece que sao, so querem ser diferentes)!!!!

    Só um tal de Eduardo Bueno(peninha) falar que o Gremio é quase uruguaio e BUM todo gremista agora torce para o Uruguai. Todo respeito ao Uruguai,mas nao passa da laranja.

    De belo somente a camisa celeste e só!!!!

    Abs

    • julho 4, 2010 8:08 pm

      Uma pena que você confunda admiração por “puxa-saquismo”. Mas se for assim, nem perderei meu tempo nessa discussão.

  7. Alfredo Carlet permalink
    julho 5, 2010 4:40 am

    CELESTES…
    Uniformes únicos, lindos.

  8. Lopes permalink
    julho 5, 2010 12:18 pm

    Bruno, concordo contigo em gênero, número e grau. É muita hipocrisia ficar atacando se torcemos para A, B ou C e chegar no 03 de outubro, votar em qualquer porcaria ou, pior ainda, anular o voto ou votar em branco. É claro que a grande maioria dos descontentes, como eu, chega na hora do jogo, até torce pra Seleção Brasileira. Mas desta vez, nem na hora da partida deu aquela emoção e vontade de torcer pra esse ajuntamento do Dunga. Ainda mais sendo gremista e vendo o mala-sem-alça, deixar o Victor e o Ronaldinho de fora da lista dos convocados. Ser patriota não é pintar a calçada de verde e amarelo na copa. Não é botar a camisa, que custa 1/3 do salário mínimo, na hora do jogo. Ou encher a cara, e chorar pela derrota dos riquíssimos comandados de Dunga. Patriotismo é não se conformar com a miséria neste país. É ter sede de justiça pelos brasileirinhos e brasileirinhas explorados e abusados. É se indignar com a falta de professores, com os desvios de verba, com as roubalheiras, com um congresso extremamente oneroso para sua população. Ser patriota, é não trocar o voto por favores prometidos, é conhecer os seus direitos mas também, os seus deveres de cidadão. Nesta copa, dos quatro que restaram, é claro que torcerei, e muito, pro Uruguai. Pois, além de serem nossos hermanos fronteiriços, possuem a garra, que sempre esperamos ver, quer seja na Seleção Brasileira, ou pelo nosso Imortal Tricolor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: