Skip to content

Grêmio 4×3 Santos – Semifinal da Copa do Brasil (1° jogo)

maio 13, 2010

Olha, nem sei por onde começar. Não sabia se seria eu o responsável pela análise do jogo de ontem. Me frustei quando tive que começar a pensar numa justificativa cabível para a derrota eminente e natural em pleno Olímpico, logo após o segundo gol do Santos, ainda que não coubesse a mim fazê-lo. Meus pensamentos ficaram ainda mais pessimistas depois que Jonas bateu displicentemente o pênalti feito em cima de William Magrão. Minhas esperanças em erguer a taça de Tri da Copa do Brasil cessaram rapidamente tão logo Felipe atacou a cobrança e a bola perdeu-se na linha de fundo. E, pra completar, o zagueiro Rodrigo, já com amarelo, teria de cumprir suspensão automática no próximo jogo.

Não houve, duvido, gremista que acreditasse numa reação ante um time ligeiro, travesso e, ao mesmo tempo, consciente. Que malditos esses santistas. Ousaram desafiar o Grêmio perante mais de 40 mil pessoas. Dançaram, driblaram, fizeram a festa. E o pior: o Grêmio assistiu tudo isso sem reagir durante quase 45 minutos.

Borges, o artilheiro tricolor, marcou três e comandou a virada espetacular

Borges, o artilheiro tricolor, marcou três e comandou a virada espetacular

Malditos sejam esses muleques que têm o dom de jogar um futebol que, por mais faceiro que seja, mostra-se responsável.

Mas, como diria o eterno Chapolin que, apesar de ser colorado sabia das coisas, o Santos não contava com a astúcia tricolor.

Reação? Impossível. Como reagir diante de um Santos tão superior? Não teria como. Que venha o intervalo. Quinze curtos minutos para tentar (eu disse TENTAR) colocar a casa em ordem. E não é que conseguiram?

Quem conseguiu eu não sei. Imagino que Silas, Paixão, talvez até o presidente Duda. O fato é que o Grêmio do segundo tempo foi quatrocentos por cento melhor que o do primeiro. O Santos entrou na roda, sambou conforme o ritmo que o Grêmio quis e foi surpreendido. Primeiro por Borges, aos 10 minutos. O segundo gol também saiu dos pés de Borges, dessa vez com uma bela assistência de Douglas, apático até então e pronto para deixar o time, substituído por Maylson. Tudo isso em menos de 20 minutos de jogo. E não parou por aí.

Lembram que Jonas errou um pênalti? Bem, isso foi no primeiro tempo. Como as coisas mudaram radicalmente na etapa complementar, era dever de Jonas se redimir. E assim o fez. Chute de fora da área, inapelável para Felipe. Golaço. E o Grêmio ampliou, de maneira heróica, aos 30 minutos, novamente com Borges. É, amigos. Um Grêmio que mais uma vez mostrou-se Imortal e que tem por dom nos provar que não se pode duvidar do Tricolor. O Santos ainda descontou com Robinho, aos 37, num belo chute. Mas o Santos perdeu totalmente o poder de reação. O Grêmio soube “fechar-se ofensivamente” e não deu espaços aos muleques da Vila.

Festa azul no Olímpico. Uma festa completa que, apesar do início trágico (além dos gols de André, o Grêmio lamentou a perda do seu conselheiro Clovis Frederico Falk, 74 anos, que sofreu um ataque cardíaco minutos antes da bola rolar), teve seu panorama mudado por Borges, o artilheiro tricolor, que coloca o Grêmio em razoável vantagem no jogo da volta, na próxima quarta-feira, às 21h50, na Vila Belmiro.

Se fosse fácil, não seria Grêmio.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. Alfredo Carlet permalink
    maio 13, 2010 1:17 pm

    Reação maravilhosa.
    Arbitragem igual em Santos seria o ideal.
    A cbf que não escale um Heber, árbitro caseiro, político…

  2. Daniel Alves permalink
    maio 13, 2010 2:56 pm

    Resultado normal da partida: Grêmio 4 x 1 Santos, pois o Grêmio jogando no 3-5-2 não era o verdadeiro Grêmio (isso vem comprovar o que eu sempre defendi: 3-5-2 é coisa que europeu inventou e brasileiro fica tentando imitar, o negócio é 4-4-2 e ponto final), e tomar 2 gols em casa foi o preço que o Grêmio pagou pra comprovar isso. Inteligente a atitude de Silas de perceber isso e mudar o esquema do time, foi só voltar pro 4-4-2 que as coisas melhoraram, oportunidades foram criadas, a exemplo do lance do pênalti e das grandes defesas de Felipe em chutes de Borges e Adilson (o cara que anulou o Ganso). E por falar no pênalti, quem deveria cobrar os pênaltis do Grêmio é o Douglas, não? O cobrador de pênaltis de um time deve ser o jogador de maior talento, maior habilidade, que bate melhor na bola e não o jogador que está concorrendo a artilharia do campeonato, uma vez que pênalti é pra se fazer o gol, e não pra se fazer artilheiro.
    Os volantes foram muito bem na marcação do meio campo santista, em especial na marcação do Ganso, Hugo foi batalhador e Douglas só jogou 20% do seu potencial e mesmo assim foi fundamental na partida, e se jogar mais 20% no jogo de volta vai facilitar muito as coisas pro Grêmio. Jonas e Borges dispensam comentários. E é por isso que o Grêmio, jogando no 4-4-2 com o espírito que a equipe entrou no segundo tempo é um dos times mais fortes do Brasil na temporada.
    Agora, não adianta falar que o Grêmio venceu por causa do Rodrigo Mancha (o Douglas perdeu uma bola no meio campo que resultou no segundo gol do Santos, e isso ninguém fala), isso é inaceitável. O Grêmio conseguiu o placar porque adiantou a marcação, pressionou o Santos, se postou melhor em campo e foi eficiente no ataque. O Grêmio justificou novamente ser o Imortal, isso que aconteceu ontem só o Grêmio pode fazer. E se mantivermos esse postura que adotamos no segundo tempo do jogo de ontem, dificilmente perderemos essa Copa do Brasil.
    Avante Imortal Tricolor!!!!!!!!!!
    Abraço

    • giovani montagner permalink
      maio 15, 2010 12:49 am

      ia falar exatamente isso, os dois primeiro gols estão na conta do silas.
      só vou acrescentar que precisa tomar cuidado na frente da zaga, o adilson e o william tão indo para o ataque ao mesmo tempo e acabam deixando um vazio na frente dos zagueiros ou os deixando no mano-a-mano com os atacantes.
      o confronto esta indefinido, mas depois desse segundo tempo eu acredito no Grêmio.
      e o time do santos “sentiu” o jogo, depois do primeiro gol nitidamente ficaram intranquilos. o terceiro gol saiu num descuido da zaga e na qualidade técnica individual do paulo henrique, que visão de jogo e passe!

  3. Filipe Almeida Hackford permalink
    maio 13, 2010 3:08 pm

    Alguém por favor tenha o bom senso de proibir o estabanado do Jonas de querer cobrar penalti. Atacantes costumam errar penaltis direto, prefiro quando meias ou laterais tomem essa função. Aquele terceiro gol o Grêmio tomou por desatenção, não precisava.
    Espero que o Silas corrija os erros e traga a clasificação lá da “Clodovila”.

  4. Régis permalink
    maio 13, 2010 8:02 pm

    Simplesmente fantástico o jogo que vimos ontem, e, certamente, quem esteve no Olímpico, voltou para casa orgulhoso com o time que torce, afinal de contas, após um placar adverso contra o “time da moda”, seria quase impossível reverter o marcador. Mas claro que, à partir do momento que o Santos enfrenta uma equipe como o Grêmio, decerto saberá que terá que esperar, até o último minuto de jogo, para se certificar que poderá comemorar algo. O que vimos ontem, senhores, foi algo que ficará marcado em nossas lembranças, assim como ficou na famosa “Batalha dos Aflitos”. Parabéns, tricolor, você nos encheu de orgulho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: