Skip to content

Grêmio 2×1 Juventude – Campeonato Gaúcho 2010

abril 5, 2010

Parecia Gauchão. Serra, chuva e frio. Mas o Juventude não é mais o mesmo. Foto: Ricardo Wolffenbuttel/ClicRBS

Caxias do Sul, chuva e frio. Eis a cara do bom(?) e velho Gauchão.

A combinação não é só perfeita por culpa do Juventude. Pobre ‘papada’, o que fizeram com vós?

Chega a ser uma covardia, hoje em dia, o confronto da dupla GRE-nal com o time do Jaconi. O atual Juventude nada lembra o combatente de outrora, se tornou um alvo fácil de ser batido, frágil e inofensivo para se temer. [Não que temessêmos, ‘eles’ encrencavam mais com os da ‘beira do lago’.]

É claro que o nosso adversário desse domingo mostrou vontade, reagiu ao empatar a partida e a sua empolgação quase o levou a complicar nossa vida. Mas, faltou futebol e algo muito mais a essa ‘juventude’ desse Juventude.

No Grêmio, bem, não temos do que reclamar.

‘O tempo curou as feridas’. A confiança dada à Silas para continuidade do trabalho passa a colher os frutos. Quem criticava passou a tirar o chapéu. Lutar contra números é tarefa ingrata, contra fatos não há argumentos.

A campanha de 7 jogos, 7 vitórias e o consequente aproveitamento de 100% na Taça Fábio Koff deixam-nos, com toda razão, entusiasmados para o que ainda está por vir. Em breve os adversários serão mais fortes, as provações serão maiores, mas a crença de que esta equipe pode superar os obstáculos está sendo provada dia após dia, jogo após jogo.

Há tempos nossa perspectiva quanto ao futuro não são tão animadoras.

Além disso, há o retrospecto atual de 15 jogos e 15 vitórias. Segundo o Blog Imortal Tricolor, recorde sul-americano de vitórias consecutivas.

O ano de 2010, como se vê, parece estar indo com nossa cara.

Jonas comemora seu segundo gol na partida. Foto: Daniela Xu/ClicRBS

Quanto ao jogo, algumas ponderações:

Edílson me agrada do meio para frente. Só acho que ele poderia agradar mais do meio para trás. Contra o Votoraty o elogiei pela aplicação ao marcar, mas contra o Juventude tirou o pé nas divididas e deixou ser ludibriado pelo Calisto. A substituição serve como alerta, talvez.

Rodrigo, definitivamente, pôs ordem no pardieiro que era nossa zaga. É o xerife, o dono da área. Em breve capitão?

Willian Magrão fez o seu jogo. Sem marcação e com velocidade, apareceu como homem-surpresa abrindo espaços no ataque. Nos fez lembrar 2008, sem Rafael Carioca mas com Adílson. Gosto dessa possibilidade de parceria, e creio ser a primeira linha do meio-campo perfeita.

Fábio Rochemback, esquece. Rescinde o contrato. Não vejo o que ele possa colaborar com o grupo em campo, vejo mais a possibilidade dele atrapalhar. Tem que se definir se é interessante lhe ter no plantel pela experiência ou se é preferível aliviar a folha salarial. Só que isso é com o Grêmio.

Douglas é desatento, perde bolas que deixam o torcedor irritado. Tudo verdade. Agora, quando ele está ligado no jogo, sai da frente, coloca todo mundo na cara do gol. Além disso, Douglas joga com os laterais. Mais pela esquerda, sem esquecer da direita, Douglas joga sempre em projeção à linha de fundo. Fábio Santos agradece, o gol da vitória foi assim.

Todo mundo já queimou a língua ao falar do Jonas. Ninguém escapa. Até mesmo quem vos fala, um dos defensores para que ele fosse aproveitado por Celso Roth no início de 2009, já cometi o ato falho de duvidar do atacante. Marcou 2 gols hoje, total de 11 no Gauchão. É pelo ar, pelo chão, do jeito que for. Há algo que ainda me impressiona ao se tratar de Jonas. A facilidade com que ele tem de acertar nos gols difíceis e errar nos fáceis.

Agora é o Pelotas nas quartas-de-final. A próxima vítima do Silas & Cia. No Olímpico, quinta-feira, 21h50. Passando de fase, pegamos o vencedor de São José-POA e Inter-SM.

Vamos Grêmio!


Ficha do Jogo – 7ª Rodada – Taça Fábio Koff – Gauchão 2010

Grêmio – 2 : Victor, Edílson (Joílson), Mário Fernandes, Rodrigo, Fábio Santos, Adílson (Fábio Rochemback), Willian Magrão, Maylson, Douglas, Jonas (Hugo) e Bérgson. Técnico: Silas.

Juventude – 1 : Carlão, Bressan (Thiago Renz), Ferreira, Jorge Fellipe, Bruno, Fred, Umberto, Gustavo (Júlio Paulista), Calisto, Hiago (Maycon) e Marcos Denner. Técnico: Osmar Loss.

Estádio Alfredo Jaconi (Caxias do Sul – RS)

Público e Renda: não divulgados

Gols: Jonas, aos 11 minutos do 1º tempo, e aos 16 minutos do 2º tempo (Grêmio), Gustavo, a 1 minuto do 2º tempo (Juventude).

Cartões Amarelos: Mário Fernandes e Maylson (Grêmio), Bressan, Gustavo, Umberto, Tiago Renz e Ferreira (Juventude).

Árbitro: Vinícius Costa da Costa.
Auxiliares: Paulo Ricardo Conceição e Renata Schaefer.

9 Comentários leave one →
  1. Claudio COLORADAÇO permalink
    abril 5, 2010 7:05 pm

    Depois de levar 8 do Inter e até o nosso goleiro Gigante Clemer fazer gol de penalti humilhando e colocando o juventude no seu devido lugar , nunca mais ….abraços 🙂

  2. prsancho permalink
    abril 6, 2010 1:08 am

    100%!

  3. Sancho permalink
    abril 6, 2010 12:19 pm

    Essa listagem é mais furada que queijo suíço. O Inter tem a maior série de vitórias consecutivas em campeonato gaúcho: 20. Sendo 18, só em 1974 (quando venceu TODOS os jogos).

    • Rodrigo Rodrigues permalink*
      abril 6, 2010 2:13 pm

      Mas Sancho, vitórias consecutivas somente no Gauchão.

      Eu desconheço o ano de 1974, mas pode ser que o Inter tenha empatado ou perdido algum jogo em outro campeonato simultâneo. Entendeu?

      Abraço.

      • Sancho permalink
        abril 6, 2010 6:00 pm

        Por exemplo, segundo o RSSSF, a série colorada iniciou-se em 4.8.1974 -portanto, após o término do Brasileiro (28.7)- e terminou em 7.5.1975 -antes do início do Brasileiro (20.8). Confesso que desconheço outras competições oficiais que os lacustres pudessem ter disputado nesse período.

    • Sancho permalink
      abril 6, 2010 5:47 pm

      Claro, Rodrigo. O ponto é ter que conferir isso de todos os times. Eu tenho dúvidas se tal lista é confiável (se tivesse datas ficaria mais fácil de conferir).

      Eu acho que nossos números valem por si só. Tchê, 15 vitórias consecutivas é vitória para cacete, em qualquer lugar e contra quaisquer adversários.

      • Rodrigo Rodrigues permalink*
        abril 6, 2010 6:51 pm

        Sancho,

        Foi em razão da dúvida se a lista é confiável ou não, que coloquei segundo o Blog Imortal Tricolor. Tirei o meu da reta. Até porque não apurei nada a respeito.

        Mas como você disse, 15 vitórias é um baita número e é o que vale. Fora que recorde não é título.

        Abraço.

  4. Claudio COLORADAÇO permalink
    abril 6, 2010 4:58 pm

    Sancho ,agora falando sério , não sabia dessa estatisca que mencionas-te, estou surpreso !! Ta , mas…e os caras da zero hora , os jornalistas esportivos iam falar dessa série do Inter ,mas acredito que o gremio ta superando mesmo (no gauchão),acho que tem erro ai Sancho , abraços

    • Sancho permalink
      abril 6, 2010 5:50 pm

      Cláudio, o Internacional foi campeão gaúcho em 1974 vencendo TODOS os jogos. Não perdeu nenhum ponto. Como eram 10 clubes, em “fórmula fraga”, disputou-se 18 partidas. Com mais 2 vitórias nas duas primeiras rodadas de 1975, chega-se às 20 vitórias consecutivas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: