Skip to content

Que diferença…

novembro 25, 2009

Foto: Alexandre Alliatti/GLOBOESPORTE.COM

Um episódio na tentativa frustrada da contratação de Adilson Batista, uma coisa me chamou a atenção. O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela, em nenhum momento demonstrou preocupação quanto à ida do técnico ao Grêmio e chegou a afirmar que a possibilidade de ficar era de 95%. E Adilson ficou na Toca da Raposa.

Situação bem diferente vive o Grêmio, cuja confiança entre torcedores e a atual gestão é debilitada. O presidente Duda Kroeff já chegou a dizer que a possibilidade de Paulo Autuori ficar no Olímpico era de 99% e o diretor Luiz Onofre Meira seguia com tal otimismo, que aos poucos passou para cautela e depois conformismo. Os 99% desapareceram e o Grêmio ficou sem técnico.

São situações diferentes, claro, afinal, Adilson Batista não recebeu uma proposta mega-milionária como Paulo Autuori recebera do Al-Rayyan, mas esses dois episódios mostram que os cruzeirenses, gostando dele ou não, podem sentir segurança em seu presidente. Isso não ocorre com o Grêmio, muito porque o presidente Duda e a direção uma hora dizem uma coisa e depois tomam uma atitude completamente diferente.

Como bem elaborou o Minwer, do blog do Torcedor no Globo Esporte, não há convicção no Grêmio. Todos lembram que Celso Roth sempre foi mantido em prol da  Libertadores. Após a derrota no terceiro GREnal deste ano, Duda Kroeff saia dos gramados do Beira-Rio dizendo que Roth permaneceria no cargo, mesmo discurso com então diretor André Krieger. Horas depois ele estava demitido. Mesmo que Roth tenha cavado a sua própria cova com declarações conflitantes com a direção, foi uma atitude que escancarou que dependendo da pressão, não há convicção nenhuma no Olímpico.

Agora o Grêmio tenta a contratação de Dorival Junior, que é bom técnico e, na minha visão, o mais preparado atualmente para comandar o Grêmio. Entretanto, já se noticia que se ele não  vier, a tentativa da direção gremista passa a ser Nelsinho Batista.  Mas a pergunta que fica é com qual convicção ocorre a contratação dele?

Tudo bem que Nelsinho Batista foi campeão da Copa do Brasil em 2008 pelo Sport, mas esse foi um oásis diante de seus últimos trabalhos. Em clubes grandes, há anos Nelsinho não desempenha grandes trabalhos e, de certa forma, foi responsável também pelo rebaixamento do Sport neste ano.

Oras, se for para trazer um técnico assim, então que se efetive logo o Rospide ou que traga o Renato Portaluppi. Porque não vejo lógica e nem como ter convicção no trabalho de Nelsinho Batista a ponto de trazê-lo ao Grêmio. Se isso ocorrer, sinceramente, começarei a largar mão da atual gestão. Afinal, paciência tem limite.

2 Comentários leave one →
  1. Filipe Almeida Hackford permalink
    novembro 27, 2009 11:04 am

    Eu tenho medo dessa dupla…

  2. Vinicius permalink
    novembro 28, 2009 7:08 pm

    Agora surge a notícia que Máxi também pode estar indo…
    http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Esportes&newsID=a2732630.xml

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: