Skip to content

Náutico 0x2 Grêmio – Campeonato Brasileiro 2009

setembro 13, 2009
Foto: Rodrigo Lobo, JC Imagem, AE - Blog do Wianey Carlet

Foto: Rodrigo Lobo, JC Imagem, AE - Blog do Wianey Carlet

Acabou o jejum de vitória fora do Olímpico neste Campeonato Brasileiro, depois de 24 rodadas. Talvez não houvesse adversário mais apropriado para isso do que o Náutico, a quem não vence o Grêmio há 18 anos. Com a vitória, o Tricolor alimenta a esperança de alcançar o G-4 e chega a 36 pontos, apenas a quatro pontos do Atlético Mineiro, o último da zona da Libertadores.

Apesar da quebra desse incomodo tabu, ainda há ressalvas a se fazer.  No primeiro tempo, o Grêmio foi bem, mas demorou para Mário Fernandes entrar no jogo na lateral-direita, setor em que o Náutico atuava com maior frequencia. Nos minutos iniciais, houve muita tentativa de ligação direta por parte dos jogadores gremistas entre a defesa e o ataque. Mas quando o meio-campo começou a tocar mais a bola, surgiram as boas as atuações de Tcheco e Souza, que estavam devendo nas partidas longe do Olímpico.

Aliás, destaque para Tcheco, que participou das jogadas que resultaram nos dois gols. Primeiro o cruzamento para cabeceio de Souza aos 17 minutos. Vale citar a ajuda de Maxi López, que chamou a atenção de dois marcadores, fazendo com que o meia ficasse livre para definir a jogada.

O segundo gol nasceu com mais uma boa assistência de Tcheco para Jonas, que fez bonita jogada ao se livrar dos dois marcadores e concluir ao gol. Com 26 minutos de jogo, o Grêmio praticamente definia a vitória, devido à fragilidade do Náutico e a consistência do sistema defensivo do time de Paulo Autuori.

No segundo tempo, porém, o Grêmio voltou a apresentar os mesmos defeitos que vinha apresentando anteriormente quando atuava fora de casa. O Tricolor ainda chama de maneira perigosa o time adversário ao seu setor defensivo com muita dificuldade em contra-atacar rapidamente, muito porque Tcheco e Souza sumiram de novo.

O Náutico somente não soube se aproveitar disso devido às suas limitações. Mas vale destacar que a defesa gremista melhorou, inclusive Mário Fernandes. Já Bruno Collaço, apesar do susto de um amarelo logo cedo na partida, mostrou segurança defensiva na lateral-esquerda, embora tenha devido um pouco nas subidas ao ataque.

Já Maxi López foi o destaque negativo. Não achei que jogou tão mal e questiono o rigor do Wilson Luiz Seneme em sua expulsão, mas o fato é que ele não deveria jogar daquela maneira o atleta do Náutico, sendo que já tinha um amarelo. Com um atacante a menos, com Jonas cansado e substituído por Herrera que ainda não engrenou, o Grêmio apenas se defendeu no segundo tempo e teve que contar com Victor e a trave nos instantes finais.

Mesmo com o aperto no segundo tempo, o Grêmio saiu do estádio dos Aflitos com os três pontos. A Libertadores se torna possível com essa vitória. Quanto ao título, mesmo que a diferença para o líder Palmeiras tenha caído de 11 para oito pontos, é uma distância considerável, visto que ainda deveríamos passar pelo Inter e São Paulo também.

Por essa razão é preciso ir por etapas. Primeiro o G-4 e depois, quem sabe, o título brasileiro. E para engrenar, o próximo adversário será o Fluminense, que embora seja um clube tradicional, o Grêmio passa a ter obrigação de vencê-lo devido à fragilidade do time carioca, que conta, por exemplo, com Diogo e Ruy, velhos conhecidos.

Ficha técnica   – Náutico 0x2 Grêmio – 24ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009

Náutico
Gledson; Márcio, Cláudio Luiz e Asprilla; Patrick (Sidny), Aílton, Rudnei (Kuki), Derley e Michel; Acosta (Márcio Barros) e Carlinhos Bala
Técnico: Geninho

Grêmio
Victor; Mário Fernandes, Rafael Marques, Réver e Bruno Collaço; Adilson, Fábio Rochemback, Tcheco (Léo) e Souza (Túlio); Jonas (Herrera) e Maxi López
Técnico: Paulo Autuori

Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Data: 13/9/2009 (domingo)
Público: 16.473 pessoas
Renda: R$ 94.770,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (FIFA/SP)
Assistentes: Gilson Bento Coutinho (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Cartões amarelos: Bruno Collaço, Maxi López, Tcheco, Fábio Rochemback (Grêmio); Asprilla, Márcio (Náutico)
Cartão vermelho: Maxi López (Grêmio)
Gols: Souza, aos 17min; Jonas, aos 26min do primeiro tempo.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. setembro 13, 2009 11:39 pm

    Eu curto o futebol do Tcheco, pra mim, jogou muito, o Souza é que ta devendo…

    O maxi tambem da outra cara ao ataque, e sobre o Jonas… ele é ruim, mas ta fazendo os gols… 🙂

  2. setembro 13, 2009 11:50 pm

    A “nhaca” parece que passou, mas o futebol ainda tá muito pobre e deve ser este martírio fora de casa até o fim do campeonato, mas o G4 é possível. Concordo com o Juande, o Jonas é muito fraco, passa os 90 minutos errando todos os passes, mas faz um gol por jogo. Não sei o que é melhor, alguém que faça um gol por jogo ou alguém que saiba jogar. E a dupla Souza e Tcheco, fora de casa, são um caso para ser estudado. Talvez um pai de santo…
    Abraço,

    Visitem http://www.comentaristabolamurcha.blogspot.com

  3. Roberto permalink
    setembro 14, 2009 12:32 am

    É Bruno, ainda não dá pra confiar 100% nesse time fora de casa. Só vou acreditar em uma arrancada mesmo com a prova de fogo que vamos ter no próximo jogo fora (contra o Goiás).
    Mas vale lembrar que apesar da consistência defensiva como um todo, quem realmente (e pra variar um pouco) garantiu tudo lá atrás foram o Réver, que não perdeu uma, e o Victor com aquelas duas defesas no 1º tempo.
    Compreensível o time tirar o pé do acelerador na 2ª etapa, mas fosse um Goiás por exemplo isso poderia ser fatal. Só vou acreditar que realmente o Grêmio embalou fora de casa se vier com uma vitória do Serra Dourada.
    Ps: “incrível” hein, Tcheco e Souza aparecendo e o time vem com a 1ª vitória. Espero que a partir de agora eles dois entendam que se eles se omitem fora, fica quase impossível vir algo de bom.

  4. setembro 14, 2009 9:50 am

    Concordo com teu texto e tb com o Roberto. Tcheco e Souza precisam aparecer, chamar o jogo. Quando eles se somem, fica quase impossível vencer. A fragilidade do Nautico ajudou, mas ainda dá tempo de pensar na Libertadores. Abs!

  5. setembro 15, 2009 8:38 am

    Finalmente uma vitoria fora de casa que se não esconde o pessimo jogo do Grêmio pelo menos não podemos reclamar de um time que só perdia quando jogava fora, nesse jogo o que realmete importava era a vitoria, abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: