Skip to content

Grêmio 4×1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro 2009

agosto 3, 2009
Foto: Diego Vara - ClicRBS

Foto: Diego Vara - ClicRBS

Pré-jogo

A partida diante do Cruzeiro já previa grandes dificuldades. Mesmo sem Wagner e Kleber, o fato de Adilson Batista dar a esse time uma obediência tática, algo que constatei desde a Libertadores, e ainda povoar o meio-campo com volantes (começaram o jogo Fabrício, Henrique, Fabinho e Marquinhos Paraná) já eram sinais de que haveria uma partida muito complicada.

Além disso, o baixo aproveitamento do Grêmio nos jogos fora de casa pressiona ainda mais os jogadores gremistas quando atuam no Olímpico. Se não ganha fora, é preciso compensar a todo custo em casa. E se esse problema continuar, a pressão em jogos dentro do nosso estádio tende a aumentar e prejudicará os jogadores futuramente.

Primeiro Tempo

Com bola rolando, o Grêmio se mostrou merecedor de um resultado favorável desde o começo, mesmo quando o jogo estava 11×11. Porém, o time tinha dificuldades em criar. Souza e Tcheco eram bem marcados pelos volantes cruzeirenses, o que forçava Túlio e Adilson buscarem o jogo. Nesse ponto, Adilson Batista fez certo, mesmo que alguns cruzeirenses achem essa atitude retranqueira, pois com nossos meias anulados  e volantes saindo mais, o contra-ataque poderia sair com maior eficiência.

Mas o plano do nosso velho Capitão América caiu quando Jonathan foi expulso. E, diga-se de passagem, muito bem expulso. Ele já tinha feito uma falta para cartão amarelo e logo depois deu um carrinho por trás e perigoso em Tcheco. Evandro Rogério Roman preferiu dar o segundo amarelo, mas era lance para um vermelho direto.

A partir daí o Grêmio fez valer a vantagem numérica e pressionou os visitantes. Paulo Autuori sacou Thiego e colocou Douglas Costa para dar mais opções de criação, principalmente pelo lado esquerdo do Grêmio. Então as primeiras oportunidades claras surgiram. Houve bola na trave de Jonas e excelentes intervenções de Fábio.

Mas com chances perdidas do lado do Grêmio, o Cruzeiro conseguiu sair na frente. O mesmo filme das duas semifinais da Libertadores novamente passava na cabeça do torcedor gremista. Num lance isolado dos mineiros aos 39 minutos, Tcheco cometeu pênalti em Wellington Paulista. Para mim, houve a penalidade porque o nosso capitão desloca por trás o jogador cruzeirense, embora seja um lance totalmente interpretativo. Então o próprio Wellington Paulista abriu o placar. Assim o placar persistiu até o fim do primeiro tempo, mesmo  com o esforço do Grêmio em empatar a partida.

Segundo Tempo

No segundo tempo, o Grêmio seguiu pressionando e jogando melhor, como era desde o começo da partida. Mas o resultado do primeiro tempo era perfeito para o Cruzeiro, que mesmo com um a menos, poderia trabalhar com tranqüilidade na defesa e buscar matar o jogo no contra-ataque na etapa final.

Porém, tudo se perdeu, mais uma vez para o Adilson Batista, quando Thiago Ribeiro é expulso por uma cotovelada em Túlio. Pode ser compreensível a reclamação de alguns cruzeirenses a respeito do lance, pois é lance polêmico e também interpretativo.  Mas eu concordo com o vermelho, pois o atacante cruzeirense ergue o cotovelo numa jogada, que mesmo despretensiosa, poderia ser perigosa. O foco maior dos cruzeirenses deve cair sobre a ingenuidade do Thiago Ribeiro em cometer essa infração e não no Roman.

Com dois a menos, o Cruzeiro não teve outra opção, senão se defender. Adilson tira Wellington Paulista e coloca Elicarlos. Por sua vez, Paulo Autuori tira Fábio Santos e coloca Jadilson, para dar mais velocidade ao Grêmio. A pressão, que já era grande antes da segunda expulsão do Cruzeiro, se tornou insuportável aos visitantes. Houve chances perdidas de maneira incrível, como o chute de Souza cara a cara com Fábio. Inclusive, um pênalti sonegado pelo Roman, quando Tcheco cruza dentro da área e o defensor cruzeirense tira a bola com o braço estendido. Um pênalti mais claro do que o cometido pelo nosso capitão.

Porém, o gol não tardou a sair. Aos 13 minutos, Tcheco cobrou escanteio e Réver mandou a bola para as redes, empatando o jogo. Já aos 18 minutos, o próprio capitão balançou as redes. Num lance em que Jonas tentou cortar para a direita, o zagueiro cruzeirense desvia a bola para esquerda, sobrando assim para Tcheco marcar o gol. Não resta dúvida que o capitão estava em posição de impedimento, mas o fato do jogador cruzeirense ter passado a bola valida o lance.

A partir da virada, o Grêmio começou a trabalhar mais com a posse de bola. Não havia mais motivos para pressa. Já Adilson Batista, indo para o tudo ou nada, tira Fabinho e coloca Soares, para jogar às costas de Jadilson e ainda ser opção de contra-ataque. Ainda assim, era em vão. Apenas restava saber de quanto o Cruzeiro perderia para o Grêmio e nada mais.

Aos 30 minutos, Jonas recebe cruzamento de Jadilson e amplia de cabeça a vantagem para 3×1. E ainda teve tempo para uma linda jogada de Maxi López. Com passe de Souza, o argentino deu um corte em Fabrício e, antes de Leonardo Silva atrapalhar, chutou no canto direito de Fábio. Assim estava sacramentada a vitória por 4×1 no Olímpico, diante do Cruzeiro. Com o jogo decidido, Evandro Rogério Roman deu o apito final sem dar um minuto sequer de acréscimo.

Pós-jogo

Com a vitória, o Grêmio sobe para a sexta colocação, com 24 pontos. Neste momento, estamos a três pontos do G-4.

Mas vale a ressalva de que o Inter, com 27 pontos, terá jogos a menos por causa da Copa Suruga.

Não entendo o choro exagerado de alguns cruzeirenses. Não existiu nenhum erro grosseiro contra o Cruzeiro, apenas alguns lances mais interpretativos.

Tcheco teve excelente atuação. Mesmo cometendo o pênalti, a meu ver, ele se redimiu completamente com uma atuação consistente e ainda com o segundo gol.

Já Douglas Costa dá sinais de que enfim  está evoluindo. Pode assumir a titularidade  se continuar nesse ritmo.

Wellington Paulista quase esteve no Grêmio. Foi por um detalhe que ele foi para o Cruzeiro. Hoje, eu dou graças a Deus por isso. Não precisamos de jogador mascarado e  deselegante, que provoca a torcida da casa.

Além disso, mentiroso. Não dá para acreditar que jogador algum  tivesse a intenção de quebrar a perna dele. Simplesmente ridícula essa acusação.

Palmas para o Souza que foi tirar satisfação por causa da comemoração desse jogador. No Olímpico, respeito é bom e a gente gosta.

Sobre a expulsão do Thiago Ribeiro, uma imagem vale mais do que mil palavras. Ainda é um lance polêmico,  mas é incontestável que o vermelho não pode ser considerado  uma medida extrema demais. O atacante cruzeirense foi totalmente imprudente.

Foto: Nabor Goulart/Agência Free Lancer/AE - Portal UOL

Foto: Nabor Goulart/Agência Free Lancer/AE - Portal UOL

Finalmente, Luiz Onofre Meira falou em reforços. Já estava na hora! Deveremos ter novidades em breve.

Lateral-direita é prioridade. Se possível, um meia também.

“Agora, o Paulo é diferenciado. Eu sempre falo para os torcedores que nós temos hoje o melhor treinador do Brasil. Eu não tive ainda a oportunidade de trabalhar com o Luxemburgo, mas de todos com quem eu trabalhei até hoje, para o Paulo eu tiro o chapéu. Porque é um cara ousado, um cara que tem um padrão de jogo. E aos poucos o time vai pegando o que ele quer”, palavras de Souza.

Aliás, o meia não é o único  a dizer o mesmo. O próprio Grafite, artilheiro e campeão alemão pelo Wolfsburg também já tinha dado uma declaração desse tipo: “Ele é o técnico mais inteligente que já tive. Se não está dando treino, está em casa vendo jogo”.

Sempre fui fã de Autuori e até sou suspeito para afirmar. Mas ele foi muito bem nas entradas de Douglas Costa e Jadilson. A vitória teve seu dedo.

Agora o foco é contra o Palmeiras, atual líder do Campeonato Brasileiro, com 34 pontos. Será que o Palestra Itália  será o palco de nossa primeira vitória fora de casa?  Vamos torcer que sim.

Ficha do Jogo

Grêmio 4×1 Cruzeiro – 16ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009

Grêmio
Victor; Thiego (Douglas Costa), Léo, Réver e Fábio Santos (Jadílson); Túlio (Joílson), Adílson, Tcheco e Souza; Jonas e Maxi López
Técnico: Paulo Autuori

Cruzeiro
Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Thiago Heleno e Gerson Magrão; Fabrício, Fabinho (Soares), Henrique, Marquinhos Paraná (Bernardo); Thiago Ribeiro e Wellington Paulista (Elicarlos)
Técnico: Adilson Batista

Data: 2/8/2009 (domingo)
Local: Estádio Olímpico Monumental
Público: 15.026 pessoas
Renda: R$ 206.665,00
Árbitro: Evandro Rogério Roman (FIFA/PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (FIFA/PR) e Marcos Rogério da Silva (PR)
Cartões amarelos: Jonathan, Fabrício, Thiago Heleno (Cruzeiro)
Cartões vermelhos: Jonathan, Thiago Ribeiro (Cruzeiro)
Gols: Wellington Paulista, aos 39min do primeiro tempo. Réver, aos 13min; Tcheco, aos 19min; Jonas, aos 30min; Maxi López, aos 43min do segundo tempo

*Post atualizado – 1h39 – 03 de agosto.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. agosto 3, 2009 2:05 am

    Os comandados do coloradìssimo Zanini nas transmissões da Globo falaram a todo minuto na desvantagem numérica do Cruzeiro. Quando perdemos cinco fora com expulsões, silenciaram. Inclusive na Libertadores, no Olímpico, contra o Cruzeiro. É mais que na hora da Globo colocar chefia neutra. Está nauseante.

  2. agosto 3, 2009 12:49 pm

    Me adicionem. Sou torcedor do Figueirense e tenho um blog. http://www.maquina-alvinegra.blogspot.com
    vou add voces.

    Abraços Alvinegros!

    • JuandeRamos permalink
      agosto 3, 2009 6:49 pm

      e dai se tu tem um blog cara?
      aqui só da gremista

  3. agosto 3, 2009 8:34 pm

    Grande vitoria do Grêmio né Bruno, agora precisamos muito de uma vitoria fora de casa e se acontecer contra o Palmeiras sera fundamental na busca pelo G4. Golaço do Maxi Lopes, mostrou a que veio, e gostei tambem da boa participação do Douglas Costa no jogo, abraço.
    Saudações do Gremista Fanático

  4. Régis permalink
    agosto 3, 2009 9:47 pm

    Alfredo, mais que isso, a Globo hoje, durante o Globo Esporte, mostrou sua face, só falava do progresso do SPFC, do Corínthians, da liderança do Palmeiras, e parece que o restante do país, que se lasque. Nunca vi uma emissora tão tendenciosa quanto aquela, chegando a me dar náuseas sempre que estou naquele canal. Ao invés de “Globo Esporte”, para eles deveria se chamar “São Paulo Esporte”. Não consigo sequer ouvir a voz do Galvão Bueno – o panaca -, pois meu estômago começa a embrulhar, e já sinto vontade de vomitar. Só restam a nós gremistas ler assuntos em blogs especializados, sérios, não tendenciosos como este, pois se dependermos da Globo para qualquer coisa, estaremos perdidos. Quanto ao jogo de ontem, enfiamos quatro no Cruzeiro, e achei pouco. A nossa torcida sempre cantando, embora com o placar adverso, foi um show à parte. Aos poucos chegaremos ao G4 e então ninguém irá nos segurar. Avante, tricolor!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: