Skip to content

Grêmio 3×0 Boyacá Chicó – Copa Libertadores da América 2009

abril 29, 2009

 

 

Foto: Valdir Friolin

Foto: Valdir Friolin

 

A vitória gremista por 3×0 sobre o Boyacá Chico, nesta terça-feira, mais do que confirmar a liderança do Grêmio em seu grupo, já que garantiu a primeira colocação na classificação geral da primeira fase da Copa Libertadores da América 2009. Não podia ser diferente. Jogando em casa, com o apoio incondicional da torcida gremista e contra um adversário inferior tecnicamente, a vitória era uma obrigação. Ela veio fácil, ainda na primeira etapa, de forma tranqüila e consistente.

O Tricolor começou bem a partida e dizendo ao visitante como iria jogar. Marcação serrada sobre a saída de bola, ainda no campo adversário. Jonas e Maxi López, mais do que atacantes, eram como que “cães de guerra” na caça à bola, dificultando uma saída de jogo bem articulada.

Por conta disso, enquanto esteve em campo, Máxi roubou várias bolas e algumas resultaram em ataques que levaram perigo à meta do Boyacá. Somada à firme marcação gremista, a boa articulação de jogadas, tanto com troca de passes pelo meio, como em jogadas pelas laterais do campo, o que confundia a marcação do adversário.

Foi assim, numa jogada rápida e de boa qualidade pela direita de ataque que o garoto Adilson lançou Souza que, de fora da área, percebendo o goleiro adiantado, marcou um belo gol abrindo o placar. Vai haver quem diga que a intenção de Souza era o cruzamento! No entanto, a bola foi chutada de forma precisa para encobrir o goleiro e morrer nas redes, junto à trave oposta. Se não era essa a intenção de Souza, pouco importa… O fato é que o Grêmio abriu o marcador logo aos 13 minutos e com um gol de rara plasticidade.

A avidez gremista por um bom resultado dava grande agilidade ao time como um todo. Era feroz na tentativa de roubar a bola do adversário e rápido em colocá-la na direção de seus atacantes que estavam bem, mas atraíam a marcação da zaga do Boyacá sobre si. O resultado é que os meias de movimentação, como Souza, ficavam mais livres e somente eram parados com faltas.

Novamente Souza se deslocou em velocidade, dessa vez pela direita de ataque, sendo lançado já na entrada da área e, de bate-pronto, mandou para o fundo das redes do Boyacá. Mais um belo gol e, principalmente, mais uma jogada de alta qualidade.

O terceiro e último gol gremista veio dos pés do zagueiro Léo que aproveitou o toque de Rever, após cobrança de falta por Tcheco, na intermediária. O lance foi uma verdadeira “blitz” gremista sobre o goleiro do Boyacá. A defesa parou e vários jogadores tricolores movimentaram-se simultaneamente em direção à meta adversária. Até pensou-se em impedimento, mas a jogada foi legal e, aos 29 minutos, o Grêmio assegurava uma primeira impecável na competição, com o melhor ataque, a melhor defesa e a liderança geral.

Poderia ter sido até mais… Jonas perdeu gols, mas esteve bem no contexto. Fez boas assistências e teve boa movimentação. Outro destaque gremista foi Adilson que, a meu ver, é titularíssimo nessa equipe, pelo menos até prova em contrário. Não vou falar da penalidade máxima não assinalada pela arbitragem quando o jogo ainda estava com o placar fechado. Isso já está virando rotina e, com um placar tranqüilo, não trouxe prejuízos ao resultado final.

Na segunda etapa as coisas mudaram. O Boyacá precisava reverter a situação que, cá entre nós, era irreversível. Mas foi à luta. O Grêmio, com larga vantagem, passou a cadenciar mais o jogo e acabou dando mais espaços para que o adversário crescesse no jogo.

A marcação gremista diminuiu na saída de bola do Boyacá e o Tricolor encolheu-se… Daí veio o susto. Um passe mal feito na intermediária do Grêmio colocou o atacante com bola dominada na entrada da área gremista e veio o pênalti. Na primeira cobrança, invasão da área por um jogador do Boyacá e o juiz manda repetir. Daí, o grande goleiro Victor pegou para a alegria da torcida que quase lotou o Olímpico. A defesa de uma penalidade máxima pelo goleiro gremista “foi o gol do Grêmio no segundo tempo”!

O Tricolor, de fato, não marcaria mais. Perderia algumas boas oportunidades e nada mudaria mesmo com as substituições de Máxi López por Alex Mineiro ou de Tcheco por Orteman. No fim, vitória e o Rospide continua invicto!

Agora, é esperar pelo adversário que será o último colocado na classificação geral desta primeira fase. Mais do que uma vitória, o Grêmio assegurou o direito de fazer em casa todos os jogos de volta nas fases seguintes. Amigos! Estamos a apenas oito jogos do título e o que mais me anima é que bastarão quatro vitórias para a conquista do Tricampeonato da Libertadores, algo inédito nestes pagos do sul.

Análise de Nelson Luiz Ramão

 

Agora o Grêmio inicia o seu verdadeiro desafio

Grêmio é líder absoluto da fase de grupos da Copa Libertadores da América 2009. Uma campanha irretocável, com 16 pontos, que poderiam ser perfeitamente 18, se não fossem os gols perdidos na estréia, diante do Universidad de Chile, que também obteve a classificação no Grupo 7.

O clima é de otimismo e com toda justiça. Os times do grupo podem ser inferiores tecnicamente ao Grêmio, mas coube a este não dar oportunidade de que seus rivais crescessem e dificultassem seu caminho. O maior mérito do Grêmio foi jogar como o time de tradição na Libertadores, não dando chance para os seus adversários. Por essa razão, somos merecedores de decidir qualquer partida da fase de mata-mata no Olímpico, uma vantagem que pode fazer enorme diferença.

Mas agora os jogadores precisam conter a euforia. Agora é iniciada outra etapa da Libertadores, a sua fase mais peculiar. Na fase de mata-mata, erros podem ser fatais, jogos dramáticos virão e adversários mais fortes estarão no caminho. Por essa razão, cabe aos jogadores gremistas usufruírem da vantagem de jogar em casa na partida de volta da Libertadores, mas terem em mente que toda essa campanha até aqui, pouco valerá se essa supremacia não for comprovada nessa nova etapa.

O mais importante desta fase de grupos, além da boa campanha, é saber que estamos no caminho certo. Dispensamos o título de “Melhor da América”, pois ainda é cedo para isso, mas somos sim um dos grandes favoritos a levantar a taça mais cobiçada para os clubes sul-americanos, isso pela terceira vez. O Grêmio provou aos céticos que tem time para brigar e que jamais pode ser subestimado numa Libertadores. Então agora que venham as verdadeiras batalhas pelo Tri.

Análise de Bruno Coelho

 

Ficha Técnica

Copa Libertadores 2009


Grupo 7 – 6ª rodada 

Grêmio 3 x 0 Boyacá Chicó (COL)

Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: terça-feira, 28 de abril de 2009

Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Assistentes: Pablo Fandiño (URU) e Miguel Nievas (URU)

Cartões amarelos:
Grêmio – Tcheco e Rafael Marques
Boyacá Chicó – Nuñez, Pino e García

Gols:
Grêmio – Souza (13 e 17min/1ºT) e Léo (29min/1ºT)

 

Público total – 34.974
Público pagante – 31.110
Renda – R$ 636.914,00

 

GRÊMIO
Victor; Léo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Souza, Tcheco (Orteman) e Fábio Santos (Jadílson); Jonas e Maxi López (Alex Mineiro).
Técnico: Marcelo Rospide (interino)

BOYACÁ CHICÓ (COL)

Velásquez; Pino, Tejera (Girón), García e Madera; Ramírez, Palácios, Tápia (Rada) e Caneo; Nuñez e Pérez (Durán).
Técnico: Alberto Gamero

5 Comentários leave one →
  1. gremiocopero permalink
    abril 29, 2009 1:18 pm

    Bruno e Nelson. Parabéns pela análise sóbria e bem ponderada. É conter a euforia e seguir trabalhando em busca da COPA. Lamento as especulações pela saída do Souza para o Fluminense. Forte abraço.

    PS: Nelson, me passa teu e-mail de facil acesso? Obrigado.

  2. Rodrigo Schmidt permalink
    abril 29, 2009 1:57 pm

    Daê ….
    faz tempo que procuro um site que me mostre a grade da libertadores, que eu possa ver os times que estão na mesma grade do grêmio, para eu poder saber quem poderão ser nossos adversários até uma possível final.Não sei se você me entendeu, um tipo de cronograma fase por fase até a decisão,que nem os carnês da copa do mundo. Me entendeu..?!!
    aguardo via email resposta de alguém

    abração e dá-lhe GRÊMIO.,………….
    Rodrigo

  3. Rodrigo Schmidt permalink
    abril 29, 2009 1:59 pm

    Respondam via email:para:(Rodrigo Schmidt)sobre a mensagem anterior..

    rcbones1@gmail.com

    no aguardo
    Rodrigo

  4. abril 29, 2009 2:47 pm

    Estamos de parabéns. Mas agora, começamos do zero.
    Cada jogo é uma final, com direito a decidir em casa. Sem tempo para dia ruim, para cochilada.

    Tudo pela COPA! Vamos que dá pé.

  5. Juliano permalink
    abril 29, 2009 7:45 pm

    Jogo ruim, valeu pelo resultado e pela melhor campanha, mas não da para se iludir, o time está mal e tem que melhorar muito, mesmo no primeiro tempo não foi bem, o adversário que é muito fraco. O Time da muitos espaços e jogando com adversários mais qualificados com certeza teremos problemas, um treinador está fazendo falta. Bom só espero que Souza permaneça. Força Grêmio e atenção direção se ajustar o time a tempo da para ser campeão, já que não tem nenhum time sensacional nessa edição.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: