Skip to content

Até quando vale a pena continuar com Banrisul?

abril 26, 2009

gremio-banrisul-26-04-096

O contrato entre Grêmio e Banrisul se encerra em junho deste ano e cada vez mais se aproxima o término desse vínculo, maior a expectativa. Talvez não demore muito para novas especulações a respeito brotem na imprensa esportiva e no Olímpico.

Aliás, isso já ocorreu em janeiro deste ano, quando o vice-presidente de marketing, César Pacheco afirmou que uma empresa estaria interessada em patrocinar o Grêmio e pagaria R$ 15 milhões anuais. Porém, o próprio Pacheco disse que o Banrisul tem preferência na renovação do contrato, por causa da ajuda nos momentos difíceis, pois a estatal patrocinou a dupla GREnal para pagamentos de dívidas, que já foram quitadas.

Antes disso, César Pacheco não escondia o incomodo de ver os times do Rio-SP faturarem valores mais elevados do que o Grêmio: “Há alguns anos Grêmio e Inter deviam para o Banrisul, que fez um contrato que abatia um valor da dívida. Naquela situação de dificuldade o acerto foi bom, mas hoje eles têm publicidade em todo o estádio, conta-corrente de todos funcionários. No fim eles até saem no lucro com a gente”, disse o dirigente.

Em 2001, quando foi formalizado o contrato entre o Grêmio e o Banrisul, até poderia ser vantajoso tal acordo. Mas hoje não é mais, pois há desvantagem financeira entre o Tricolor outros grandes clubes brasileiros, principalmente os paulistas, que arrecadam valores bem mais elevados do que os R$ 3,6 milhões pagos pelo Banrisul. O São Paulo lucrava com a LG R$ 15 milhões anuais até 2008 e hoje esse valor subiu para R$ 18 milhões, mesmo valor que a Batavo dá ao Corinthians, enquanto o Palmeiras ganha R$ 15 milhões com a Samsung.

Vale lembrar que o Grêmio disputou o título brasileiro com o São Paulo, mas com patamares financeiros desproporcionais entre os dois clubes. Portanto ao aumentar a arrecadação com patrocinadores, também aumenta a possibilidade de títulos, uma vez que se investe mais na formação de elenco sem a necessidade de atrasar pagamentos de dívidas (como o atraso do condomínio de credores) e também possibilita na melhoria de infra-estrutura para funcionários do clube e torcedores.

Por isso vale o recado de que o Grêmio não deve gratidão nenhuma ao Banrisul, pois já foi além da sua parte do acordo com a empresa. E caso a estatal não ofereça um valor satisfatório, então que se procure outra empresa que queira patrocinar a camisa do clube de maior torcida e maior vencedor de títulos nacionais e internacionais do Sul do Brasil.

15 Comentários leave one →
  1. ANDRE permalink
    abril 26, 2009 1:53 pm

    Uma vergonha continuar com esse patrocínio, qual a desculpa? ouvindo o césar pacheco, ele disse que o banrisul foi parceiro em um momento difícil!!!!!!e que seria injusto largar o banrisul agora( isso foi no início desse ano) quanta ingenuidade!!!! parece um amador!!!! quanto será que o corinthians está ganhando da Batavo??????????só ler o texto!!! 300mil por mês é que não é!!!!!!!!!

    • Cláudio Tafarel Beckenkamp permalink
      julho 5, 2009 7:03 pm

      Está na hora de o Gremio parar de pensar em ser grato com o Banrisul,foi muito importante a ajuda naquela hora díficil para todos os gremistas,temos que pensar agora em fazer um time forte e competitivo para ganhar títulos,sem deixar de cumprir com as obrigações com os credores,e isso começa com um patrocinador forte,a altura do Gremio.Ouvi falar de uma proposta de R$15 milhões de uma montadora de automóveis(supostammente a FIAT),que seria um ótimo patrocinador!!!!!!!!!!!
      Atenção Direção,está na hora de pensar grande e ganhar títulos.

  2. abril 26, 2009 2:53 pm

    Pois é, bom post. O Banrisul deveria pagar muito mais.
    Além disso, não concordo com a ideia do patrocinador do Imortal ser sempre o mesmo do Inter. Com certeza é essa divisão de valores entre os dois clubes que faz com que as empresas patrocinadoras do Grêmio não possam pagar mais perto do que pagam os patrocinadores no centro do país.
    Porque não fugir um pouco dos padrões e abrir as portas para alguma grande empresa que patrocine apenas o Grêmio no estado, como fazem os times grandes de São Paulo?
    Mas, infelizmente, conheço alguns conselheiros que garantem que não será alterado o patrocinador e que as bases da renovação do contrato já estão firmadas. E pelo que se fala não ultrapassará os 5 milhões. Perto dos valores de São Paulo, Corinthians e Palmeiras, uma humilhação. Principalmente para quem, como o Grêmio, está há dois anos dividindo os holofotes com os finalistas de Libertadores e Brasileirão.
    Está na hora de exigirmos mais de quem quiser expor sua marca em nosso manto sagrado.
    Abs
    Eduardo Trindade
    http://www.eduardotrindade.com.br

    • abril 26, 2009 8:12 pm

      Eduardo, se o Grêmio renovar com o Banrisul com base nos R$ 5 milhões, então a ambição da atual gestão é irrisória. Enquanto o Inter já está planeja outro patrocinador que lhe dê um valor mais próximo do eixo RJ-SP, o Grêmio ficará nessa questão de gratidão?
      Concordo com o André, isso é uma grande ingenuidade. O Banrisul não firmou contrato com a dupla GREnal por caridade e sim para que os dois clubes honrassem suas dívidas e ainda lucrasse com isso. Portanto, esse discurso de gratidão não condiz em nada com uma visão empresarial, que é como deve se comportar um clube no futebol moderno.
      Uma renovação nesses valores será extremamente lastimável. E pior. São Paulo e Corinthians já estão com ambições de chegarem a R$ 30 milhões anuais (mas a atual crise atrapalhou esse plano), enquanto um grande clube, que vira e mexe disputa título de nacional e continental se contentar com R$ 5 milhões é completamente inaceitável. Espero que não ocorra isso.

  3. abril 26, 2009 3:34 pm

    Agora puxa vida. O Banrisul pagar 3.6 mi e a Samsung pagar 15 mi pro SPFC é uma diferença enorme de valores. Com certeza, pegando um bom patrocínio, vem mais dinheiro pro clube e pode contratar melhores jogadores e quitar dívidas.

  4. Renato permalink
    abril 26, 2009 10:15 pm

    SOU TOTALMENTE A FAVOR DA PERMANENCIA DO BANRISUL OU DE QUALQUER OUTRA EMPRESA GAUCHA OU BRASILEIRA COMO PATROCINADOR DA CAMISETA TRICOLOR. NAO QUERO VER MAIS UMA EMPRESA MULTINACIONAL COLOCANDO O SEU NOMEZINHO NO NOSSO MANTO SAGRADO. PERDERIAMOS A NOSSA IDENTIDADE. A NOSSA ESSENCIA E ESSA E NAO PODEMOS ABRIR MAO DELA. OU ALGUEM JA ESQUECEU QUE FOMOS CAMPEOES DA LIBERTADORES COM A RENNER PATROCINANDO PASSANDO PELO PODEROSO PALMEIRAS-PARMALAT HEIN?

    • abril 26, 2009 10:40 pm

      Renato, discordo de sua linha de pensamento. O Grêmio, como todo clube de futebol, deve se comportar como uma empresa, que busque aquilo que lhe for mais rentável. Se o Banrisul propuser um valor na base dos R$ 12 milhões (com restante compensado com outros patrocinadores) ou R$ 15 milhões (o que eu duvido), então ficamos com o Banrisul. Caso contrário, não tem o que pensar duas vezes, fecha com outra empresa que queira pagar mais.
      O clube de futebol deve sim incentivar empresas de sua região ou até certas tradições, mas ao mesmo tempo não pode fazer disso um impedimento para a sua sustentabilidade econômica. Se o Grêmio fechar com o Banrisul na base dos R$ 5 milhões, como alertou o Eduardo, acha mesmo que poderemos continuar a bater de frente com outros clubes, caso cheguem à casa dos R$ 30 milhões?
      E você citou a Renner, mas esquece que o Grêmio também não foi tão ruim com a GM. Se não foi melhor, então não podemos culpar o patrocinador, e sim a administração Guerreiro, que dali começou a nos colocar num buraco financeiro que até hoje buscamos sair. Portanto, uma coisa não tem necessariamente ligação com a outra. Nada impede o Grêmio conquistar grandes títulos com uma multinacional, pelo contrário, às vezes pode ser mais vantajoso ao clube.
      E com todo respeito, a nossa identidade vai muito além de uma simples estampa na nossa camisa. Desde que não descaracterize o nosso Manto Sagrado (como uma logomarca vermelha, por exemplo), qualquer marca que seja vantajosa financeiramente é bem vinda. A nossa verdadeira identidade está na nossa torcida, no nosso símbolo, no manto com as três cores (azul, preto e branco), na garra e técnica dos nossos jogadores, na nossa história e conquistas. Essa é a nossa identidade. Limitá-la a um patrocinador é exagerado. Abraço. 🙂

  5. Renato permalink
    abril 27, 2009 12:22 am

    BRUNO EXATAMENTE POR TERMOS HISTORIA CAMISA TRADICAO E TORCIDA E QUE NAO DEVEMOS NOS SUBMETER A UMA EMPRESA ESTRANGEIRA. REPITO: COM A FORCA QUE NOS TEMOS PODERIAMOS SER AUTOSUFICIENTES SEM PROBLEMA ALGUM. PARA ISSO ACONTECER E NECESSARIO TER UM EXCELENTE DEPARTAMENTO DE MARKETING CAPAZ DE ATRAIR CADA VEZ MAIS SOCIOS NAO SO NO RIO GRANDE DO SUL COMO NO BRASIL INTEIRO TAMBEM. O GREMIO SEMPRE FOI CAMPEAO COM EQUIPES MODESTAS. ISSO FAZ PARTE DA NOSSA CULTURA. NAO PODEMOS NOS DESFAZER DELA. ACHO QUE O GREMIO PERDEU UM POUCA DE SUA IDENTIDADE NOS ULTIMOS ANOS E ISSO A MEU VER COMECOU EM 2000 COM A PARCERIA DA ISL. FORAM MONTADAS EQUIPES MILIONARIAS MAS SEM IDENTIFICACAO COM O NOSSO MANTO. DESDE LA ESTAMOS COM DIFICULDADES EM NOS RECUPERAR FINANCEIRAMENTE. SOMOS DO GREMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE E ISSO PRA MIM JA BASTA.

    • abril 27, 2009 1:18 am

      Renato, ainda sigo discordando. Fazer parceria com uma empresa estrangeira não é se submete a ela. O princípio é o mesmo de uma parceria com empresa local, que paga ao clube pela divulgação de sua marca. A questão é a busca por aquilo que for mais rentável ao clube e se for uma empresa local ou estrangeira, isso é de menos, desde que a sua marca não descaracterize a nossa camisa, não tenha transações obscuras (como a MSI) e seja vantajoso financeiramente, não vejo problema algum quanto a sua origem.
      Também discordo totalmente sobre a sugestão de auto-suficiência com o marketing. Trata-se de uma importante ferramenta para arrecadar lucros aos clubes, mas jamais um fator isolado. Se fosse assim, os clubes europeus, que possuem os melhores departamentos de marketing do planeta, não precisariam de patrocinadores, e o que vemos é o contrário. Se essa necessidade ocorre na rica Europa, imagine para o nosso futebol subdesenvolvido economicamente. No atual contexto, um clube brasileiro tentar se garantir sem patrocínio a longo prazo é suicídio.
      Apenas ressalvo e concordo que o clube deve sim buscar no marketing e no sócio-torcedor como ferramentas que diminuam a dependência de patrocinadores externos e da televisão, mas nem por isso devemos dispensar tais fontes de recursos. Nos gigantes clubes europeus também fazem exatamente isso.
      E o Grêmio pode fazer equipes vitoriosas e ao mesmo tempo modestas, mas nem por isso precisa necessariamente ser pobre. Uma coisa não precisa andar aliada com a outra. E se a ISL não deu certo, não podemos entrar no estereótipo de que “Grêmio não dá certo com parceria nenhuma”, porque pode dar certo sim, aliás seria interessante se isso ocorresse (voltando a frisar, desde que não fosse outra MSI) desde que tenha dirigentes competentes, profissionais e que trabalhem unicamente pelo clube, o que não era o caso do Guerreiro. A parceria é sim importante e vem se tornando uma realidade no nosso futebol e o Grêmio não pode fechar a porta, caso ocorra uma oportunidade.
      E mais Renato, o Grêmio precisa sim de um patrocinador forte, independentemente seja local ou não, porque temos dívidas a pagar e ao mesmo tempo em elenco para investir. Veja a situação atual, quando ganhamos míseros R$ 3,6 milhões do Banrisul e a diretoria se vê atrasada por pagamentos de credores porque necessitava investir na formação do time para Libertadores.
      Portanto, precisamos de um patrocinador forte, porque necessitamos financeiramente disso. E isso não significa a perda de nossa identidade, como disse anteriormente, pois a nossa identidade é muito mais forte do que dinheiro e origem de patrocinador. Saudações.

  6. Juliano permalink
    abril 27, 2009 12:34 am

    Renato, discordo de ti quanto a patrocinador. O Grêmio pela sua grandeza DEVE exigir muito mais de seus patrocinadores, no mínimo no patamar de R$ 10 milhões. Ou tu acha que só com camiseta vamos ganhar títulos. Está na hora dessa direção e das próximas começar a ver que o tricolor é muito grande e com uma grade torcida tem uma grande visibilidade e pode atrair muito mais dinheiro para tricolor, com isso quitar as dívidas e fazer grandes times, claro que para isso precisa de uma boa administração. Força Grêmio.

  7. André M. permalink
    abril 27, 2009 2:17 am

    Com todo o respeito Renato, quero te lembrar que o João Severiano, o Milton Kuelle, o “Bugre” Alcindo e o Gessy já largaram o futebol, acorda pra cuspir tchê, estamos em 2009!!!

  8. Augusto permalink
    abril 27, 2009 3:58 pm

    tem que termina com esse patrocinio

  9. alisson permalink
    abril 28, 2009 12:18 am

    {OFF TOPIC}

    Vocês viram isso??
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1100441-9825,00-CARLOS+EUGENIO+SIMON+SERA+QUESTIONADO+POR+ERRO+EM+JOGO+DO+CEARENSE.html

    PUTAQUEOPARIU, HEIN-Ô, BATISTA?

    • abril 28, 2009 5:02 am

      Alisson, eu não sei com que me surpreendo mais: com a capacidade do Simon em fazer erros clamorosos ou com a sua proteção na CBF e até mesmo por alguns comentaristas esportivos.
      Ele já fez uma arbitragem questionável na final da Copa do Brasil 2002, em que o Brasliense foi prejudicado contra o Corinthians; não marca infração no recuo de bola do jogador colorado a Clemer, que a encaixa com as mãos, na final do Gauchão 2006; assinala impedimento numa jogada de lateral em jogo da Libertadores, entre River e Libertard; faz arbitragem polêmica na Copa do Mundo 2006, entre Itália e Gana; e agora mais essa arbitragem polêmica e constrangedora dele no Clássico Rei, pelo Cearense.
      E ele vai apitar a Copa do Mundo de 2010, sendo que há árbitros brasileiros melhores do que ele. Só entre os gaúchos, cito o Garciba e o Vuaden numa fase bem melhor do que a de Simon.
      É simplesmente inacreditável.

  10. PARALELEPÍPEDO permalink
    maio 6, 2009 8:14 pm

    Olá,Bruno!!!

    Seguinte, números oficiais.

    O São Paulo recebia da LG, R$ 15 milhões anuais.
    Renovou, em janeiro, com a LG, até dezembro, pelo
    MESMO valor, ou seja 15 milhões. É oficial e saiu no
    site oficial do clube.
    O Patrocínio do Palmeiras é de R$16 milhoes anuais da Samgsung.
    O Corínthians, apenas pra camisa, fechou com a Batavo
    até dezembro, 18 milhões por nove meses.

    Quanto a patrocínio, o Corínthians recebia, ano passado
    na 2ªDIVISÃO,da MEDIAL, o maior patrocínio do Brasil.

    2008
    Corínthians – Medial – 16,5 milhões
    Flamengo – Petrobrás – 15,5 milhões
    São Paulo – LG – 15 milhões
    Palmeiras – FIAT – 12 milhões

    Este ano, ainda continua.

    Não sei como o Grêmio e Inter, recebem tão pouco de Patrocínio de
    camisa e direito de TV, e ainda sim, fazem times competitivos.

    Deve ser boa administração.

    Grande abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: