Skip to content

Grêmio 3×0 Aurura – Copa Libertadores da América

abril 8, 2009

Foto: Mauro Vieira

Foto: Mauro Vieira

O Grêmio entrou em campo para enfrentar o Aurora pela Copa Libertadores da América, um pouco mais de 48 horas depois do último GREnal. O Olímpico presenciava um público de 30 mil torcedores, que se mostrava entusiasmado com o time (e com a saída de Roth). Isso lembrou o verdadeiro clima de Libertadores, como era comum no Olímpico.

O time entrou em campo no 3-5-2, desta vez com Marcelo Rospide no comando técnico desta partida. A sua escalação foi algo simples, mas nem havia como fugir disso. Makelelê estava na ala-direita, Herrera e Maxi López (o melhor em campo) formavam a dupla de ataque, já que Jonas (suspenso) e Alex Mineiro (lesionado) estavam fora da partida.

No primeiro tempo foi uma partida de apenas um time. Só deu Grêmio no ataque e o Aurora apenas se defendia. A zaga gremista pouco trabalho. A vitória era questão de tempo, todos sabiam disso, mesmo o Grêmio não convencendo. E assim, mais gols perdidos, como nos jogos anteriores.

Enfim, aos 32 minutos, nasceu o gol gremista. Uma cobrança de falta pela direita, Tcheco lança a bola para área e Rafael Marques cabeceia a bola, que quica no chão e entra no gol. Com o placar aberto, o time poderia trabalhar mais tranquilo no jogo.

Porém, o destaque até aquele momento era mesmo Maxi López. Como de costume, o jogador marcava presença na área adversária, mas desta vez o atacante corria, buscava a bola e dava carrinho. Também teve a sua chance de marcar o seu gol, num lance em que cabeceou a bola para fora. Mesmo assim, sem drama, afinal o dele estaca guardado.

No segundo tempo, o Grêmio diminuiu o ritmo e passou a atuar sem objetividade. Talvez a fragilidade do adversário tenha acomodado os jogadores, porém é bem verdade que manter um alto rimo competitivo em 180 minutos num intervalo de 48 horas é pedir demais. Consequentemente, o Aurora pensou que poderia complicar a vida do Grêmio e se aproximou mais da área de Victor.

Quando a torcida estava começando a ficar preocupada, Maxi López coroou a sua boa apresentação e garantiu os três pontos do Grêmio. Em lançamento do compatriota Herrera, o argentino pulou alto e mandou a bola para as redes, sem chance alguma de Dulcich evitar o pior. Os três pontos estavam sacramentados. Ainda teve tempo para o terceiro gol, aos 36 minutos, com Rever se aproveitando da rebatida dentro da área colombiana.

A vitória por 3×0 seguiu sem susto algum. Agora o Grêmio tem 10 pontos (em 12 disputados). Classificação praticamente garantida para as oitavas-de-final. Hoje se enfrentam o Universidad de Chile e Boyacá Chicó. Os colombianos têm seis pontos, enquanto os chilenos quatro.

E se Maxi López foi o destaque da noite, por outro lado Souza teve uma das noites mais infelizes no Grêmio. Não jogou bem, não criou como deveria, errou passes em demasiado e ainda teve preciosismo em alguns lances, quando o mais recomendável era passar para os seus companheiros. Teve a proeza de ser vaiado pela torcida, algo não comum.

Já Marcelo Rospide passou por um momento curioso em sua vida. Quando o alto-falante do Olímpico anunciou o seu nome, a torcida o ovacionou como o próprio não imaginaria que ocorresse. Naturalmente, a comemoração se deu pela ausência de Celso Roth.

Ainda sobre Rospide, não é uma hipótese absurda que ele treine novamente o Grêmio em Santiago, diante do Universidad. A demora da direção em anunciar o nome do novo técnico (melhor dizendo, o nome do Renato) significa que haja uma negociação mais difícil, mas com chances de se concretizar (Paulo Autuóri).

Já a Torcida que lembrou os tempos de Libertadores. Fora as vaias para Souza (manifestação justa), houve um apoio incondicional ao time dentro de campo. Será que a saída de um técnico foi capaz de tanto no Olímpico?

 

Ficha Técnica – Grêmio 3×0 Aurora – Copa Libertadores da América 2009

Grêmio
Victor; Léo, Réver e Rafael Marques; Makelele (Diogo), Adilson, Tcheco, Souza e Fábio Santos (Jadílson); Herrera (Orteman) e Maxi López
Técnico: Marcelo Rospide (interino)

Aurora
Dulcich; Huyhuata, Zenteno e Leonforte; Viviani, Escobar (Castellón), Fernández, Bongioanni (Cardozo), Hurtado e Sossa (Gutierrez); Paredes
Técnico: Júlio César Baldivieso

Data: 7/4/2009 (terça-feira)
Local: Estádio Olímpico Monumental
Árbitro: Antonio Arias (PAR)
Auxiliares: Óscar Vera e César Franco (PAR)
Cartões amarelos: Fernández, Bongioanni, Sossa (Aurora); Herrera, Tcheco (Grêmio)
Gols: Rafael Marques, aos 31min do primeiro tempo. Maxi López, aos 18min; Réver, aos 36min do segundo tempo

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. abril 8, 2009 5:43 pm

    Só pude ver o segundo tempo por causa de aula na faculdade, e gostei bastante do Maxi. Espero que ele continue nesse ritmo ascendente nas próximas partidas…

  2. abril 8, 2009 5:44 pm

    Ah, e o Réver já é jogador de seleção há muito tempo! Pqp, como joga aquele ‘beque’…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: