Skip to content

Roth não ajudou para sua permanência

abril 6, 2009

 

Foto: Fernando Gomes

Foto: Fernando Gomes

O assunto envolvendo a demissão de Celso Roth ainda dará muitos panos para manga. Não duvido nada que daqui a alguns dias, o ex-técnico gremista entre em maiores detalhes sobre a sua demissão. E como já fez por muito menos, a “metralhadora rothiana” deverá bombardear a direção gremista.

No meio desta tempestade, este blog defendeu a permanência de Celso Roth. Uma opinião isolada, junto com um número reduzido de gremistas, diante de uma massa que intensificava o desejo de ver o Sr. Juarez fora do Olímpico.

Trocar de técnico não resolve os problemas num passe de mágica. Aliás, nos piores anos do Grêmio nesta década, que foram 2003 e 2004, o clube mudou quatro vezes de técnico, quase caiu para segunda divisão do Brasileiro no centenário e despencou no ano seguinte. Fora isso, estamos num momento em que o nosso futebol passa por uma falta de bons treinadores (os poucos, que ainda existem, estão muito bem empregados), então a sua permanência seria a atitude mais acertada.

Mesmo assim, Roth nunca foi unanimidade para a maior parte da torcida e nem da imprensa. E não importava o que fazia, isso não mudava. Se o Grêmio vencia, era apesar de Roth, se perdia, era culpa exclusiva do técnico. Caso um jogador errasse um gol feito, era culpa de Roth. Se a bola batia na trave, culpa de Roth. E assim foi até o momento de sua demissão, mesmo acertando.

Mas as atitudes de Celso Roth em nada colaboraram para amenizar toda essa pressão. A diretoria, que teve que segurar um rojão por tanto tempo para mantê-lo, era duramente criticada pelo próprio técnico. Chegou a ser chamada de amadora, em entrevista para revista Placar no mês de dezembro.

A relutância do treinador em admitir seus erros também foi o seu pecado mortal. Após as eliminações em 2008 contra o Juventude e Atlético Goianiense no Gauchão e na Copa do Brasil respectivamente, Roth disse que não havia escolhido aquele grupo de jogadores. Tal discurso contrastava com o que disse na sua chegada, ao afirmar que era um grupo muito competitivo e pronto para disputar qualquer titulo.

Neste ano, usou o 3-6-1 na final da Taça Fernando Carvalho, viu seu time ser pressionado pelo rival e depois afirmou que o jogo era um teste para Libertadores. O difícil era fazer com que o torcedor gremista, sentido de uma derrota no GREnal, entender isso. Mas a culpa não era de Roth. Afinal, segundo o treinador, o torcedor é apenas passional e não entende a sua lógica.

Já na semana passada, ele preferiu escalar um time titular contra o São Luiz e pôr reservas em campo diante do Caxias. A lógica seria usar os principais jogadores contra o time mais forte. Não para Celso Roth. Tais erros resultaram na goleada por 4×0 no Centenário e precipitou o GREnal.

Então o técnico se viu obrigado a escalar os titulares para o clássico, por ordem da direção. E nada fez para esconder o seu descontentamento. Mais uma vez, Roth atritava com a diretoria, que o mantinha, embora houvesse enorme pressão por parte da torcida e da mídia esportiva.

Após a derrota no GREnal, a qual não teve culpa nenhuma, ele ainda tentou disfarçar, dizendo que a decisão de usar os titulares era uma decisão de consenso entre as partes. Mas desdenhou o Gauchão e o Inter.

Logo depois, Celso Roth encerraria a sua estadia no Olímpico. Daí o discurso mudou. Desta vez, fora apenas a direção que escalara o time titular para o GREnal.

Por mais que houvesse a tentativa de manter treinador por parte da direção e do exagero que se criou na campanha por sua demissão, Celso Roth não colaborou nada para evitar o pior. Criticou abertamente os seus patrões gremistas, chamava o torcedor de passional e jamais admitia seus erros. A moral da história é que Celso Roth cavou a sua própria cova no Grêmio. Agora, ele sai com mágoas, como se fosse imune às críticas.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. abril 6, 2009 10:22 pm

    Evidentemente o Roth não foi o ÚNICO culpado pelas últimas derrotas e perdas de títulos. Mas foi o PRINCIPAL, disso não há dúvida.

    A lista de erros é enorme, desde o ano passado. Todo mundo sabe e viu.
    E por fim, o pior de tudo, esse cara não tinha estrela!

    Jogamos melhor esse GREnada e perdemos tb por isso, porque o Tite além de tudo tem estrela. Mudou certo, na hora certa e foi premiado.

    Jamais ganharíamos um campeonato com Roth, ele que mude de profissão, que vá vender pipoca em porta de cinema pornô rs..

    Abs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: