Skip to content

Hora do Grêmio rever o planejamento

abril 2, 2009

 

andre-krieger-03-02-09

 

A derrota contra o Caxias escancarou a falha de planejamento da comissão técnica e da diretoria de futebol. Desta vez, não há como deixar o diretor de futebol André Krieger de fora das minhas críticas anteriormente.

Um planejamento se faz em trabalho em conjunto. A comissão técnica (treinador e preparador físico, por exemplo) e a direção de futebol traçam metas para o decorrer da temporada, escolhendo assim as suas prioridades. E no caso do Grêmio, ninguém esconde que é a Libertadores, algo completamente normal e coerente.

Mesmo assim, não se pode usar essa competição de tamanha importância para esconder os erros de planejamento. E infelizmente, foi exatamente isso que ocorreu com o Grêmio até este momento.

O objetivo do Grêmio era conquistar a Taça Fernando Carvalho, para que o time pudesse dar total atenção à Libertadores no decorrer da Taça Fábio Koff. Porém, o que ocorreu foi a escalação do 3-6-1 num momento indevido, o que resultou no amplo domínio do Internacional na final do primeiro turno gaúcho.

A partir daí, ocorreu a primeira falha de planejamento. O técnico usou o esquema com um atacante e a diretoria nada opinou, mesmo fazendo um alto investimento no setor. Se houvesse dois atacantes, a Taça Fernando Carvalho poderia estar no Memorial Hermínio Bittencourt, mas hoje está no Beira-Rio.

Depois da derrota no clássico, o que vimos, tanto pelo nosso presidente Duda Kroeff, a direção de futebol e também pelo técnico Celso Roth foi desdenhar o Gauchão em nome da Libertadores.

Tal atitude é incoerente, dentro daquilo que se tinha em mente inicialmente. E mesmo o estadual não tendo grande valor no âmbito nacional e internacional, é um titulo que qualquer clube grande tem obrigação de brigar e caso não consiga, a humildade de reconhecer os méritos do rival.

E será que estava no planejamento do Grêmio levar um banho de bola do tradicional adversário e instalar uma crise no Olímpico, para o seguimento da Libertadores? Naturalmente que não. Então já se pode questionar se houve um planejamento.

Mas a vitória contra o Boyacá Chicó por 1×0, pela Libertadores, salvou Celso Roth em seu cargo. Assim o Grêmio pôde continuar na Taça Fábio Koff com um clima mais ameno.

Neste caso, segue o planejamento de alternar times titulares e reservas, para preservar os jogadores para a Libertadores da América. E naturalmente, quando se coloca suplentes, uma derrota é uma hipótese a ser considerada.

Mas tudo começa a dar errado nesta semana. O Grêmio vence mais um compromisso pela Libertadores diante do Aurora, com força máxima na altitude boliviana.

Então, qual é a lógica? Realizar um revezamento entre titulares e reservas, conforme estava ocorrendo. Seguindo esse planejamento, seria coerente colocar time reserva contra o São Luiz. Mesmo valendo a garantia pela classificação para as quartas-de-final, o jogo seria no Olímpico e contra um adversário teoricamente mais fraco. Isso porque na quinta-feira, o adversário seria o Caxias no Centenário, que é mais forte e jogaria num local onde costuma complicar a vida gremista, algo histórico nos últimos anos, o que obriga a utilização de titulares.

Se tudo seguisse nessa ordem, provavelmente o Grêmio conquistaria no mínimo quatro pontos. Caso isso ocorresse, o Tricolor até poderia terminar na liderança do grupo 2. Sendo assim, o GREnal seria adiado, os reservas poderiam entrar em campo no domingo e os titulares se focarem apenas na Libertadores.

Contudo, o que ocorreu é justamente o contrário. Os titulares entram em campo contra o São Luiz e os reservas diante do Caxias. O Grêmio conquista apenas três pontos, sofre uma goleada constrangedora na Serra Gaúcha e fica na quarta colocação do grupo e enfrenta o Internacional no domingo, o que obrigatoriamente faz com que alguns titulares tenham que entrar em campo duas vezes num espaço de 48 horas, tanto pelo Gauchão, quanto pela Libertadores.

Então qual é o planejamento traçado pela comissão técnica e direção? Não pode ser isso. Agora, nunca um GREnal se tornou um jogo de Libertadores como o clássico deste domingo.

Exatamente isso. O GREnal 376 é sim um jogo de Libertadores, mesmo sendo oficialmente uma partida do Campeonato Gaúcho. Digo isso porque uma derrota neste jogo pode tirar a confiança dos jogadores para a competição sul-americana, instalar uma nova crise no Olímpico e mais uma vez balançar o técnico. Portanto, o jogo contra o Inter ganha maior importância em relação ao Aurora.

Mas tudo isso poderia ser exatamente evitado, se o Grêmio, formado por comissão técnica e direção de futebol, tivesse planejamento para disputar as duas competições de maneira estável e com plenas condições de ganhar os dois torneios, sem expor de maneira demasiada os jogadores às novas lesões pelo excesso de jogos.

Agora não adianta ameaçar ir com recurso judicial para adiar o jogo de domingo. Como clube grande e Campeão do Mundo, o Grêmio tem obrigação de assumir os seus erros. Nada disso estaria ocorrendo se fosse coerente. Agora que não foi, vamos para o que der e vier.

Anúncios
12 Comentários leave one →
  1. tonhozi permalink
    abril 3, 2009 1:35 am

    Olá,
    sou do blog Grêmio Wallpapers
    e gostaria de fazer parceria com seu blog..
    c tivér interesse me mande um email..
    tonho_zi@hotmail.com
    meu blog é recente mas ta crescendo..
    to procurando novos parceiros..
    o link é esse..
    http://www.gremio-wallpapers.blogspot.com
    flw cara..
    grande abraço!

  2. Sanchotene permalink
    abril 3, 2009 2:25 am

    O melhor mesmo é se manter no planejamento. A decisão que foi feita de cabeça fria não pode ser modificada pelo calor do momento.

  3. Sanchotene permalink
    abril 3, 2009 2:26 am

    Desde o fim do jogo, eu já defendi titulares e misto para domingo. Contudo, já acho que o melhor mesmo é repetir o time de ontem, com o Grohe no gol. Tivemos a chance de conquistar o Gauchão através da TFC. Perdemos. Agora, concordo que é botar os reservas e foco na Libertadores. Se o Gauchão cair no colo, tanto melhor…

  4. abril 3, 2009 11:45 am

    Ei Bruno, não inventem de estragar a nossa festa de aniversário, viu?

    hehehe

    abração!

  5. Saul Lemos permalink
    abril 3, 2009 11:59 am

    Saul Lemos Disse:

    03/04/2009 às 10:36
    Direto dos comentário do blog gremioacimadetudo:POR FAVOR REFLITAMOS NESSES COMENTÁRIOS. NÃO SERÁ ASSIM MESMO?

    GREMISTA EM PAZ COM A VIDA disse…
    Já que eles armaram para cima de nós, ficou de bom tamanho o Grenal agora, no Domindo próximo dia 05/04Se ganharmos melamos toda a festa do centenário michuruca deles, centenário elitista para quem se diz representante do povo.
    Se perdermos, bem é melhor que seja agora, do que na final do segundo turno, dentro do boia cativa e eles comemorando os três títulos. (Taça presidente comprador do Paissandú, Taça maior presidente da história Fábio Koff e a taça que o Noveletto esse, quer dar para eles, o RURALZINHO.
    DEUS NÃO JOGA MAS FISCALIZA

    Abril 03, 2009

    Leo Camilo disse…
    sentiram o golpe os coloradinhos, vão ter que jogar no dia seguinte a festa(fraquinha hem) e correr o risco de perder. Um dia teremos que ganhar este Grenal, quem sabe não seja domingo.
    Já pensaram…que vai sair mais perdendo? Nós na terça temos o Aurora(acho barbada) e levantamos a casa novamente.

    Abril 03, 2009

    Anônimo disse…
    Turma sem esta de criar crise para o nosso lado. Por favor, perder um gauchão não significa nada. O Importante é a Libertadores. Não caíamos nessa da imprensa colorada(Wianey, Guerrinha etc).

    Abril 03, 2009

    Gremista consciente disse…
    O Wianey ontem quase teve um chilique, ele percebeu que a combinação de resultado só faz com que o time dele perca em caso de derrota e está apavorado.
    Se não percebeu é muito tacanho mesmo este jornalista de quinta.

    Abril 03, 2009

    Gremista consciente disse…
    Po até o HILTOR MOMBACH, preferido de vcs aqui, pegou a pegadinha. Claro primeiro na sua coluna, desanda o PAU no Grêmio, técnico e jogadores, mas logo depois se sai com essa:
    “OBRIGAÇÃO

    O Inter entraria como favorito para vencer o Gre-Nal em qualquer fase do Gauchão. Agora, além do favoritismo, carrega a obrigação. Perder o jogo num domingo em que ainda comemora o Centenário seria terrível. O Centenário ficaria lembrado pela derrota. Pergunta: se vencer o clássico já pode comemorar o tricampeonato?”
    Estão vendo, começaram a sentir o pepino. Se eles perderem depois da festa,(eles sempre perdem quando fazem festa)será o fim. O Compromisso agora é deles.

    Em resposta a outro e-mail de leitor dele Hiltor comenta após o mesmo:
    “‘Caro Hiltor: Por ironia do destino, Grêmio leva quatro no Centenário. Convenhamos, uma bela homenagem a dois dias do nosso Centenário. Grande abraço. Eduardo Machry, Florianópolis.’ A ironia pode ser traiçoeira: e se o Grêmio vencer o Gre-Nal?”

    VIRAM E SE O GRÊMIO VENCER O GRENAL, AI, AI, AI, A CASA CAI.
    O DESTINO PREGA PEÇAS PARA OS QUE SE ACHAM, PARA AQUELES VAIDOSOS E PRINCIPALMENTE PARA OS PREPOTENTES E ARROGANTES

  6. Matoso permalink
    abril 3, 2009 1:43 pm

    é muito séria essa questão direção-rumos do clube

    foco na libertadores, regional fica em segunbdo plano, com certeza

    mas não podemos deixar isso obscurescer certas coisas que vêm acontecendo com nosso clube, que vinha num forte crescente desde a subida da série B

    triste muita coisa que vem acontecendo relacionadas a este assunto, CLUBE

  7. abril 3, 2009 2:33 pm

    Bruno, eu estava olhando o arquivo do blog, e não achei postagens sobre os jogos da Libertadores 2007. O blog não existia aquela época, ou ela estão em outro local?

  8. Régis permalink
    abril 3, 2009 2:35 pm

    Caro Bruno, eu não concordo nos pensamento de técnicos que querem poupar jogadores para um evento de maior repercussão, até porque ele está privilegiando alguns em detrimento de outros, ou seja, expondo para o restante do elenco e torcida, que os jogadores de nível inferior devem disputar o Gauchão, enquanto os de melhor nível devem disputar a Libertadores. O técnico, sem sentir, está realizando um “apartheid” no clube, e como sabemos que a grande maioria dos jogadores não possuem sequer um nível médio de escolaridade, sentir-se-ão humilhados, visto que não têm a personalidade de alguém com “cabeça feita”. Jogador de futebol é muito bem remunerado e deve sim jogar quaisquer partidas que o clube for relacionado. Uma partida de futebol contém noventa minutos de duração e se ele for viajar para enfrentar um time distante dos seus domínios, decerto não irá a pé, mas de avião ou ônibus, então não há desculpa de cansaço. Privilegiar jogadores dentro do próprio clube, é, no mínimo, um desrespeito para com o restante do elenco.

  9. abril 3, 2009 3:06 pm

    Concordo com o Sanchotene. Não adianta choramingar, nem fica bem. Ruralzão era para ser disputado com o Banguzinho? Esse era o planejamento? Não deu certo? Agora MANTENHAM o Banguzinho e vamos par cima dos arbívoras, o campeonato está perdido por acaso?

    No final das contas o Grêmio viraria um franco atirador, jogando com os reservas, sem nada a perder. A diretoria não desdenhou publicamente do Ruralzão?

    Então se perder não tem do que reclamar.

    Abs!

  10. JuandeRamos permalink
    abril 3, 2009 6:25 pm

    celso burroth fora porra

  11. abril 4, 2009 1:09 pm

    Vinicius, o blog Grêmio 1903 nasceu no dia 7 de janeiro de 2008. Abraço.

  12. abril 4, 2009 7:04 pm

    Muito obrigado pela resposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: